Redes Sociais

Holanda

Centro Nacional de Efeitos Colaterais da Holanda registra 35 mortes como suspeitas de efeitos colaterais da vacina contra covid-19

Thaís Garcia

Publicado

em

Wilfried Pohnke | Pixabay

O Centro de Efeitos Colaterais da Holanda, o Lareb, registrou até 14 de fevereiro 35 mortes após a vacinação contra a covid-19, segundo um relatório semanal revisado ​​por especialistas e divulgado em seu site. São 20 mortes a mais do que a organização informou na semana passada.

De acordo com o Lareb, trata-se de 31 idosos com 80 anos ou mais e 4 idosos entre 65 e 79 anos. Todos tinham uma saúde frágil devido a várias doenças subjacentes graves e/ou idade avançada. Eles morreram dentro de 1 a 14 dias após a vacinação.

Para obter uma visão ainda melhor sobre a causa da morte, os possíveis efeitos colaterais que ocorreram e o papel de possíveis outros problemas de saúde subjacentes, o Lareb solicitou mais informações sobre os relatórios aos responsáveis pelas notificações fornecidas ao centro. Os documentos serão examinados e interpretados em consulta com consultores médicos externos, segundo o Lareb.

Os relatórios do centro dizem respeito a aproximadamente 650.000 vacinas administradas no país. Agnes Kant, epidemiologista e diretora do Lareb, ressaltou que uma morte após a vacinação não significa que a morte foi causada pela vacina.

Os efeitos colaterais mais comumente relatados foram dor muscular (2.129), dor de cabeça (1.911) e reações no local da punção, como dor (1.737), inchaço (678) e sensação de calor (605). Queixas como mal-estar (1.754), cansaço (1.728), calafrios (1.165), náuseas (819) e febre (785) também foram comuns. “Essas queixas também são consistentes com o efeito das vacinas corona. As vacinas estimulam a defesa do corpo contra o coronavírus. Na maioria das pessoas os sintomas são leves e desaparecem depois de alguns dias”, disse Kant.

Segundo o centro, essas queixas não são a causa da morte, mas podem ter contribuído para a deterioração do já frágil estado de saúde.

Após a mortalidade entre idosos na Noruega (23) e na Suécia (43), o Comitê de Farmacovigilância do órgão fiscalizador de medicamentos europeu EMA investigou a ligação entre a morte de idosos frágeis e a vacinação contra a covid-19. Nenhuma ligação foi descoberta, segundo o órgão.

De acordo com o Lareb, foram recebidos 3.945 notificações com 18.241 efeitos colaterais suspeitos, dos quais 3.692 notificações após a inoculação com a vacina da Pfizer/BioNTech. Além disso, o centro recebeu 204 notificações de reações adversas à vacina da Moderna. Em 49 notificações, o tipo de vacina não foi informado.

Reações alérgicas 

O Lareb também recebeu 26 notificações de reações alérgicas graves à vacina Pfizer/BioNTech. Em 9 notificações, houve uma reação anafilática. Nas outras 17 notificações, houve sintomas como erupção cutânea extensa ou inchaço ao redor dos olhos ou garganta, que podem estar associados a uma reação anafilática.

Segundo o Lareb, os primeiros sintomas de reações alérgicas graves geralmente começam nos primeiros 15-30 minutos após a vacinação. Para alguns, levou várias horas para que as queixas piorassem. Todos os pacientes foram tratados e se recuperaram rápida e adequadamente. As reações alérgicas graves após a vacinação são raras, mas não podem ser excluídas. A diretriz para a vacinação contra a covid-19 diz que, após uma reação alérgica grave em até 4 horas após a vacinação, a 2ª vacinação não deve ser administrada.

Leia também: Agência reguladora de medicamentos da Suécia registra 43 mortes como suspeitas de efeitos colaterais da vacina contra covid-19

Noruega alerta sobre riscos de vacinação para idosos e doentes após 23 pessoas morrerem no país após receberem a vacina; caso segue em investigação

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.