Redes Sociais

Mundo

Festival de Oslo, Noruega, rejeita artistas israelenses afirmando a promoção da “limpeza branca”

Athos Menezes

Publicado

em

 

Festival em Oslo, capital da Noruega, rejeitou a inscrição de artistas israelenses alegando a promoção da “limpeza branca” promovida pelos judeus.

Os coreógrafos chamaram a rejeição de “discriminação reversa” (o que no Brasil chamaríamos de Ódio do Bem), afirmando que o evento responsabiliza os artistas pelas ações de seus governos.

Um festival de artes com foco em feminilidade e identidade de gênero em Oslo, Noruega, rejeitou a participação de seis coreógrafos israelenses, dizendo que Israel usa a cultura para “branquear” a cultura árabe.

Os seis artistas israelenses que se inscreveram para participar do festival “Feminine Tripper” – Eden Wiseman, Roni Rotem, Nitzan Lederman, Maayan Cohen Marciano, Adi Shildan e Maia Halter – receberam cópias de uma carta dos organizadores dizendo que Israel “usa a cultura como uma forma de propaganda para branquear ou justificar seu regime de ocupação e opressão ao povo palestino ”.

Como resultado, escreveram as organizadoras Kristiane Nerdrum Bøgwald e Margrete Slettebø: “Não podemos, com consciência tranquila, convidar os participantes israelenses quando sabemos que artistas dos territórios palestinos ocupados lutam com acesso muito restrito a viagens a locais de arte internacionais e que têm poucas oportunidades. para comunicar sua arte fora dos territórios ocupados ”.

Vale lembrar que os territórios islâmicos não aceitam a presença israelense devido a Jihad. 

Os coreógrafos chamaram a rejeição de “discriminação reversa”, afirmando que responsabiliza os artistas pelas ações de seus governos.

“Você rejeitaria um artista saudita pelas restrições sauditas aos direitos das mulheres? Você rejeitaria um artista norte-americano pelas políticas norte-americanas relativas aos regulamentos de “proibição muçulmana”?, escreveram numa carta, obtida pela Ynetnews.

Eles também perguntaram se a proibição se aplicaria aos israelenses árabes ou aos artistas judeus-israelenses que vivem no exterior.

Os organizadores reconheceram receber a resposta de Israel, mas disseram que não poderiam abordá-la até que o festival acabasse por causa de sua pesada carga de trabalho atual, informou o Ynetnews.

Geografia (UPE) - Mestrado em Geologia (UFPE) - Engenharia Civil (Laureate Education) - Doutorando em Engenharia Civil (UFPE).

alan correa criação de sites