Redes Sociais

Mundo

Família cristã russa se refugia na Polônia após Suécia entregar suas filhas à família muçulmana libanesa

Thaís Garcia

Publicado

em

Twitter/Bartosz Lewandowski

Denis Lisov, um pai cristão russo e residente na Suécia, pediu asilo à Polônia para sua família, após o Estado sueco entregar suas filhas à uma família muçulmana libanesa, a 480 quilômetros de distância.

De acordo com o canal de notícias sueco Samhällsnytt, a decisão dos serviços sociais suecos, de colocar as três filhas cristãs em uma família libanesa muçulmana, virou um escândalo internacional envolvendo a Polônia e a Suécia.

Há 7 anos, Denis veio para a Suécia. Em 2017, sua esposa adoeceu, e o serviço social do país decidiu levar suas filhas para uma nova família. Com o argumento de que Denis não possuía um emprego em tempo integral, ele foi considerado pelo Estado como incapaz de cuidar das crianças, e estas foram entregues à família muçulmana.

Denis formalmente ainda mantém a custódia das filhas, mas a Suécia permitia a ele, apenas o direito de vê-las seis horas por semana.

A família russa não teve a oportunidade de defender seus direitos. As meninas não queriam ficar nesta nova família muçulmana, onde foram obrigadas a passar 1 ano e também tão distante de seu verdadeiro pai.

Denis se desesperou, tomou as suas filhas e decidiu voltar para a Rússia. No entanto, ele foi barrado no aeroporto de Varsóvia, na Polônia. Pois, as autoridades suecas haviam relatado o desaparecimento de suas filhas. Então, Denis optou por solicitar asilo na Polônia.

Um tribunal polonês determinou que o serviço social sueco havia violado uma convenção da União Europeia, que proíbe a colocação de crianças em ambientes culturais estrangeiros. O tribunal também observou que os direitos de paternidade de Denis não haviam sido revogados, razão pela qual as crianças puderam ficar com o pai.

“As crianças têm um vínculo muito forte com o pai, me disseram que querem ficar com o pai e que o amam; não querem se separar dele”, disse a juíza Janeta Seliga-Kaczmarek ao Samhällsnytt.

Denis Lisov e suas três filhas

Segundo Denis, as meninas mais novas não sofreram tanto com a mudança, mas sua filha mais velha passou por problemas para se adaptar ao ambiente hostil da família muçulmana.

Seu advogado, Bartosz Lewandowski, informou em sua conta no Twitter, que a família Lisov está feliz, reunida e descansando.

“A Polônia é um país lindo. Está florescendo em meus olhos, porque aqui finalmente posso estar com meu pai ”, disse Sofia Lisov, filha mais velha de Denis, depois do veredicto do tribunal.

As ações do tribunal também foram elogiadas pelas autoridades da Polônia.

“O tribunal decidiu que as crianças ficarão com o pai. Parabéns à polícia federal ”, comentou o ministro do Interior da Polônia, Joachim Brudziński, em sua conta no Twitter.

Na Suécia, os serviços sociais têm a possibilidade de retirar imediatamente e à força, crianças e jovens até a idade de 19 anos de suas famílias, caso entendam ser necessário.


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Publicidade
16 Comentários

16 Comments

  1. Kleber Pedroso (#NerdAos40)

    09.04.2019 at 09:58

    Minha família é cristã, batista. Eu não gostaria que meu filho, o qual eu crio com valores cristãos, fosse entregue a uma família muçulmana ou de qualquer outra fé diferente da nossa. Fé é algo extremamente importante para aqueles que a seguem e é um direito inviolável. Colocar uma criança sob os cuidados de uma família praticante de uma fé diferente é, sim, uma agressão a todos seus valores familiares.

  2. Wellington

    09.04.2019 at 08:19

    Acessem o site chamado Gatestone Institute, é um periódico que se dedica a política europeia, semanalmente eles publicam notícias relacionadas a Suécia, você ficará estarrecido com o que o governo sueco faz com famílias cristãs e judias, eles preferem dar prioridade a famílias muçulmanas em detrimento de cristãos, mas advinhem só qual é a ideologia do governo sueco?
    Só podia ser de esquerda mesmo, a Suécia é o primeiro país europeu a ter um governo 100 % feminista.

  3. Marcio Oliveira

    08.04.2019 at 21:09

    Parabéns à Polônia.Quanto à Suécia,infelizmente,segue rumo ao abismo junto com a França.

  4. Pingback: Isso você não vê nas grandes mídias – O Grito

  5. Rafael Nascimento

    08.04.2019 at 13:36

    Sou do tempo quando diziam que a Suécia era um modelo de desenvolvimento humano, econômico e social. Que bosta!

  6. Pingback: Família cristã foge da Suécia após governo entregar seus filhos a muçulmanos – Farol.News

  7. Pingback: Família cristã foge da Suécia após governo entregar seus filhos a muçulmanos - Estudos Nacionais

  8. Pingback: 7.4.2019 | Olavo de Carvalho

  9. ednei ribeiro

    07.04.2019 at 11:04

    Que inveja. O Lewandowski de lá é um cara do bem

  10. marlonalvesmatos333333

    06.04.2019 at 22:40

    Para a grande midia globalista, como a Globo, isso é fake news, e que a Suécia é um pais maravilhoso e o islamismo é da paz e do amor <3

  11. Alexandre Beltrão Lessa

    06.04.2019 at 21:33

    suécia é um lixo marxista.

  12. VAULDIR COSTA ANUNCIATO

    06.04.2019 at 20:59

    E DIZEM QUE LÁ TEM REI E UMA RAINHA BRASILEIRA..A DEPRAVAÇÃO SUECA ESTÁ FAZENDO ISSO COM ELES O CÉREBRO VAI VIRANDO DIARREIA E SUBVERTEM A REALIDADE HUMANA PELA REALIDADE DE ANIMAIS QUADRÚPEDES.. ..EM BREVE O GOVERNO SUECO VAI AO INCÊNDIO. POR ISSO DILMA COMPROU CAÇAS DA SUÉCIA ELES PERDERAM LÁ O SENTIDO DA VIDA EM UM GOVERNO ESTÉRIL. QUEM SEMEIA SUBVERSÃO COLHE O LAGO DE FOGO.

  13. Soriano de Mell

    06.04.2019 at 18:28

    Suécia, pais suicida . Os politicos nao sabem como os mulcumanos criam as meninas ? Enlouqueceram !! Triste fim de uma patria onde seu povo é apátrida .

  14. Darlon Shelter (@ShelterDarlon)

    06.04.2019 at 18:24

    Que decepção! E eu, que até pouco tempo achava a Suécia um país desenvolvido, política e humanamente liberal. Como a gente se engana quanto a cultura de um país de “primeiro” mundo, não? Essa matéria veio a calhar, justamente no instante em que o mundo está num vertiginoso processo de migração, e pessoas de várias etnias procuram um refúgio seguro para si mesmas e para seus familiares. O pior de tudo, é saber que as garotas foram entregues à famílias muçulmanas. Que tipo de cultura teriam essas pobres crianças? Meninas bombas? Ainda bem que o ministro do Interior da Polônia, o Sr. Joachim Brudziński resolveu acabar com mais esse desumano “apartheid”.

  15. oldhemar

    06.04.2019 at 17:08

    É muito triste vermos países com o nível social,educacional e cultural iguais ao da Suécia,serem destruídos desta maneira pela invasão islâmica,e com conivência dos políticos locais.

    • Jornalista Mitomaníaco

      07.04.2019 at 12:23

      Suécia é o país onde as feministas de lá dizem: ser estuprada, desde que por um muçulmano, tudo bem.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites