Redes Sociais

Mundo

Ex-deputado holandês revela que se converteu ao islamismo

Thaís Garcia

Publicado

em

Reprodução | Youtube

O ex-deputado e braço direito do político anti-islã Geert Wilders, Joram van Klaveren, disse nesta semana na Holanda, que se converteu ao islamismo.

Joram van Klaveren

Joram tem 40 anos e não é o primeiro membro do alto escalão do partido de extrema-direita PVV, a se converter ao islamismo.

Ele segue os passos de Arnoud van Doorn, ex-vereador do PVV em Haia, que se converteu em 2013.

Como deputado do PVV entre 2010 e 2014, Joram van Klaveren, de uma família de origem cristã protestante reformada, lutou uma campanha implacável na câmara contra o Islã na Holanda, proferindo duras críticas e comparando o Alcorão a veneno.

Em uma entrevista à rádio holandesa NPO 1 para a divulgação do seu livro: “Apóstata: do cristianismo ao islamismo no tempo do terror secular”, comunicou a sua conversão. Joram se converteu ao islamismo em 26 de outubro do ano passado.

“Se você acredita que há um só deus e que Maomé era um de seus profetas, ao lado de Jesus e Moisés, então você é formalmente um muçulmano” disse Joram à Radio NPO 1.

Reações de ex-aliados

O líder do partido de extrema-direita PVV, Geert Wilders, comparou a conversão do ex-aliado, Joram van Klaveren, a “um vegetariano indo trabalhar em um matadouro”, conforme o noticiário da televisão holandesa RTL.

Em 2014, Joram se desligou do partido de Wilders, após um comentário controverso do líder do PVV naquele ano, quando perguntou aos seus apoiadores se eles queriam “menos ou mais marroquinos em sua cidade e na Holanda”.

Em 2016, Wilders foi considerado culpado por acusações de discriminação, mas entrou com um recurso de apelação contra a sentença.

Joram formou o seu próprio partido de extrema-direita chamado “Para Holandeses” (VNL). Não conquistando um único assento nas eleições de 2017, deixou a política.

“Se isso realmente não é um truque para promover seu livro, então, é uma escolha extraordinária para alguém que tanto combateu o Islã”, disse seu ex-aliado e cofundador do VNL, Jan Roos, ao jornal holandês AD.

“Mas nós temos liberdade religiosa na Holanda. Ele pode adorar a quem ele quiser ”, acrescentou Jan Roos.

Burca na Europa

No ano passado, a Holanda proibiu a burca e o niqab em alguns locais públicos, como hospitais prédios governamentais, transporte público e escolas, encerrando anos de discussões sobre a polêmica questão.

No entanto, não foi proibido o hijab, lenço que cobre somente os cabelos.

O projeto de lei foi aprovado por 44 votos a 31 na câmara alta do parlamento holandês, sendo o país, o último da Europa a instituir tal medida.

População muçulmana na Holanda

De acordo com o Escritório Central Holandês de Estatísticas (CBS), cerca de 5% da população holandesa, de 17 milhões de habitantes, é muçulmana.

Ou seja, são 850 mil muçulmanos no país.

Apesar das objeções de Wilders, o islamismo está crescendo, e os especialistas esperam que esse número dobre até 2050.

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Publicidade
3 Comentários

3 Comments

  1. João Silveira

    10.02.2019 at 17:35

    “Extrema Direita”?? O que seria a definição disso ?

  2. Pergunta Sincera

    09.02.2019 at 14:58

    Senhora Thaís Garcia. Por favor. Gostaria de saber o que significa a expressão “extrema-direita” e por que os políticos e partido citados no seu texto são de “extrema-direita”. Obrigado.

  3. Marcelo Júnior

    07.02.2019 at 16:04

    Europa será calífado islâmico, parabéns aos envolvidos…

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites