Redes Sociais

Estados Unidos

Trump monta nova equipe jurídica para defesa de impeachment

Thaís Garcia

Publicado

em

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, nomeou no domingo (31) dois advogados de defesa que liderarão sua equipe jurídica de defesa de impeachment.

Os dois advogados que representarão Trump no próximo julgamento do Senado são David Schoen, um advogado do Alabama, e Bruce Castor Jr., um ex-promotor da Pensilvânia.

No domingo (31), o gabinete de Trump divulgou um comunicado dizendo que Schoen e Castor agora liderariam a equipe jurídica. O comunicado também diz que Schoen já vinha trabalhando com Trump e outros assessores na preparação para o próximo julgamento.

“É uma honra representar o 45º Presidente, Donald J. Trump, e a Constituição dos Estados Unidos”, disse Schoen no comunicado.

A nova equipe tem cerca de uma semana para planejar a direção que tomará na defesa. Os argumentos de abertura estão programados para começar na semana de 8 de fevereiro.

Republicanos começaram a apoiar o argumento de que o impeachment de um ex-presidente no Senado é inconstitucional, uma questão que gerou acalorado debate entre advogados e parlamentares.

“Os esforços democráticos para impeachment de um presidente que deixou o cargo são inconstitucionais e muito ruins para nosso país. Na verdade, 45 senadores já votaram que é inconstitucional “, disse Jason Miller, assessor de Trump, em um comunicado.

Em 26 de janeiro, o senador republicano Rand Paul levantou uma questão de ordem em todo o Senado, forçando a Câmara dos EUA a decidir sobre a constitucionalidade de procedimentos futuros. O Senado acabou votando por 55-45, o que significa que o julgamento continuará. Mas também apontou que quase metade do tribunal considera o processo inconstitucional.

Castor disse que o próximo julgamento deve testar a “força da Constituição dos EUA”.

“A força de nossa Constituição está prestes a ser testada como nunca antes em nossa história. É forte e resistente. Um documento escrito para sempre, e que triunfará sobre o partidarismo mais uma vez, e sempre”, afirmou Castor no comunicado.

Castor atuou anteriormente como procurador-geral da Pensilvânia e procurador-geral interino.

Em 13 de janeiro, a Câmara controlada pelos democratas votou 232-197 pelo impeachment de Trump em um único artigo de impeachment, alegando que o presidente incitou uma “insurreição” que levou à invasão de alguns grupos no Capitólio dos Estados Unidos, em 6 de janeiro.

O julgamento de impeachment foi concluído em uma única sessão de 7 horas e foi criticado pelos republicanos por sua conveniência e falta de devido processo.

Embora o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, esteja avançando com o impeachment, o voto de 55-45 a favor da ordem de Paul pode ser uma indicação de que Trump provavelmente não será condenado, já que uma maioria de dois terços é necessária para condenar.

Com informações, The Epoch Times.

alan correa criação de sites