Redes Sociais

Estados Unidos

Suprema Corte nega acelerar audiências para contestações eleitorais antes de Biden assumir o cargo

Thaís Garcia

Publicado

em

Tim Sloan/AFP/Getty Images

A Suprema Corte americana rejeitou pedidos para ouvir rapidamente uma série de contestações às eleições presidenciais de 2020 apresentadas pelo presidente Trump e outros. Em uma série de ordens emitidas nesta segunda-feira (11), o tribunal disse que não iria agilizar a análise se finalmente ouvirá os casos, que incluíram contestações dos resultados eleitorais em Wisconsin, Pensilvânia, Michigan, Arizona e Geórgia.

“As moções dos peticionários para agilizar a análise das petições de mandados de certiorari* foram negadas”, disse a Suprema Corte.

[*certiorari , uma ordem de um tribunal superior direcionando um tribunal inferior para enviar o registro de um determinado caso para revisão]

A decisão impedirá efetivamente que a questão seja considerada para uma revisão completa pelo Tribunal Superior antes que Joe Biden tome posse na próxima semana.

Um caso foi um processo em Michigan no qual a advogada Sidney Powell, em nome dos eleitores republicanos, alegou “contagem ilegal de centenas de milhares de cédulas ilegais, inelegíveis, duplicadas ou puramente fictícias”. Este foi um dos vários casos que Powell chamou de “Kraken”, que foram todos rejeitados pelos tribunais inferiores.

No caso de Michigan, a juíza do Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Linda Parker, disse que, como a eleição já havia ocorrido e seus resultados haviam sido certificados, era tarde demais para conceder a liminar que Powell buscava, que incluiria o bloqueio de autoridades estaduais de enviarem os resultados eleitorais ao Colégio Eleitoral e uma ordem de envio de resultados certificados que apontavam o Presidente Trump como o vencedor.

Os outros casos apresentados por apoiadores de Trump incluíram um apresentado pelo deputado republicano, Mike Kelly, na Pensilvânia, um pela presidente do Partido Republicano do Arizona, Kelli Ward, e um pelo advogado Lin Wood que contestou os resultados na Geórgia.

A Suprema Corte também negou pedidos de consideração acelerada em casos apresentados por Trump e sua campanha em Wisconsin, bem como em um apresentado por Trump na Pensilvânia.

Em outro caso apresentado por eleitores republicanos da Geórgia, representados por Powell e Wood, também recebeu uma decisão adversa. Naquele caso, os eleitores haviam solicitado o exame urgente de um pedido de mandado de segurança que teria invalidado uma ordem de primeira instância. Essa ordem negou seu pedido para cancelar a certificação dos resultados das eleições na Geórgia devido a uma alegada fraude.

Todos os casos permanecem em pauta, mas os ministros da Suprema Corte mostraram que não têm pressa em resolver as disputas tão cedo.

Com informações, Fox News.

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites