Redes Sociais

Estados Unidos

Sidney Powell se reúne com Trump na Casa Branca

Thaís Garcia

Publicado

em

Neste domingo (20), a advogada Sidney Powell “foi flagrada saindo da Casa Branca”, segundo informações do jornalista Jeremy Diamond, da CNN. Diamond disse que quando perguntou a Powell o que ela estava fazendo por lá, ela respondeu que “não seria da sua conta”.

“Vista hoje à noite na Casa Branca: a advogada e teórica da conspiração Sidney Powell. Khalil Abdallah e eu a vimos deixando a residência da Casa Branca pouco antes das 21h. Ela negou ter se encontrado com Trump esta noite. Quando pressionada novamente, ela disse: ‘Não seria da sua conta'”, escreveu Jeremy Diamond no Twitter.

Após ser questionado nas redes sociais sobre sua participação na reunião de domingo à noite na Casa Branca, o empresário americano e ex-CEO da Overstock, Patrick Byrne, confirmou que a reunião realmente ocorreu e que ele também estava presente.

“Meu envolvimento é que eu estava na sala quando [a reunião] aconteceu. As vozes erguidas incluíam a minha. Posso prometer a você: o Presidente Trump está sendo terrivelmente servido por seus conselheiros. Eles querem que ele perca e estão mentindo para ele. Ele está cercado por mediocridades mentirosas”, escreveu Byrne.

Byrne emitiu uma enxurrada de tweets para esclarecer sobre a reunião no domingo. Byrne negou as alegações de que houve qualquer discussão séria sobre o Presidente Trump usar a lei marcial para ordenar aos militares que refizessem a eleição.

“Eu estava lá para a reunião de 4,5 horas. As alegações de que o golpe militar/lei marcial foram discutidos é 100% invenção. Trump é enganado por seus próprios conselheiros, que dizem à equipe ‘faça o presidente ceder’ enquanto eles prendem Trump. Meadows+Advogados Eric, Derek, Conselheiro-geral Pat Cippollone (vazador)”, escreveu Byrne.

“Além disso, qualquer sugestão de que se tenha falado em golpe militar ou lei marcial também é uma mentira descarada. 100% falso. Fiquei 4 horas e meia lá, ouvi toda a conversa, que é 100% fabricada”, reafirmou.

Byrne acredita que Trump esteja sendo traído de dentro do seu núcleo, que deveria, na verdade, apoiá-lo.

“Nenhuma lei marcial é necessária. Sydney e Flynn apresentaram um curso que estimo que tenha 50% – 75% de chance de vitória. Sua equipe apenas tenta convencê-lo a não fazer nada além de aceitar. Como CEO, meu coração se partiu ao ver o que ele está passando. Ele é traído por dentro”, denunciou Byrne.

“Ele [Trump] é muito legal. Três homens foram pegos mentindo bem na frente da sua face. Se eu fosse ele, há três homens que eu teria demitido no local. O conselheiro-geral Pat Cippolone quer que ele perca e está mentindo para ele. É 100% certeza”, escreveu Byrne.

Logo após a noite de domingo com Sidney Powell e Michael Flynn, Byrne tuitou que Cipollone – que teria vazado informações da Casa Branca e agido contra Trump – teria sido demitido do cargo de Conselheiro-geral.

“Ouvi dizer que o Conselheiro-geral da Casa Branca, Pat Cipollone, foi despedido esta noite. Das minhas horas com o cara na sexta à noite, essa seria a coisa mais inteligente que Trump poderia ter feito”, tuitou Byrne.

Após seu tweet sobre a demissão de Cipollone, Byrne afirmou que confia apenas nos avogados Rudy Giuliani e Sidney Powell.

“Pela primeira vez na vida, sinto pena de Donald Trump. Ele está rodeado de cobras até a cintura. Confie apenas em Rudy e Sidney”, escreveu Byrne.

A respeito da possível demissão de Cipollone, a Casa Branca ainda não emitiu nenhum comunicado oficial até o fechamento da matéria.

 

alan correa criação de sites