Redes Sociais

Estados Unidos

Pesquisa estima que 890.000 americanos podem morrer devido ao impacto de lockdowns da covid-19

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Reprodução

Um novo estudo do Escritório Nacional de Pesquisa Econômica dos Estados Unidos (NBER) prevê efeitos desastrosos de longo prazo devido às medidas de bloqueios da covid-19.

O artigo, ‘O impacto de longo prazo do choque de desemprego da covid-19 na expectativa de vida e taxas de mortalidade‘, de autoria de Francesco Bianchi da Duke University, Dongho Song da Johns Hopkins University e Giada Bianchi da Harvard Medical School, examina as consequências de longo prazo dos bloqueios da covid-19.

O estudo adota uma abordagem de séries temporais para investigar a relação histórica entre desemprego, vida
expectativa e taxas de mortalidade. Os pesquisadores estimamos que a escala de desemprego relacionado à covid-19 deve ser entre 2 e 5 vezes maior do que o choque de desemprego típico, dependendo da raça/sexo, resultando em um aumento de 3,0% na taxa de mortalidade e uma queda de 0,5% na expectativa de vida nos próximos 15 anos para a população americana em geral.

“Esses números se traduzem em impressionantes 0,89 milhões de mortes adicionais nos próximos 15 anos”, diz a pesquisa. Ou seja, o estudo prevê uma morte excessiva de 890.000 americanos nos próximos 15 anos devido ao desemprego causado pelas medidas de bloqueios da covid-19.

A equipe pede aos funcionários do governo americano que considerem os impactos de longo prazo dos bloqueios.

“Nós interpretamos esses resultados como uma forte indicação de que os formuladores de políticas devem levar em consideração as implicações severas e de longo prazo de uma recessão econômica tão grande na vida das pessoas ao deliberar sobre a recuperação da covid-19 e das medidas de contenção. Sem dúvida, os bloqueios salvam vidas, mas também contribuem para o declínio da atividade real que pode ter consequências graves para a saúde”, diz a equipe de pesquisadores.

 

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites