Redes Sociais

Coronavírus

Governo Trump aponta varejistas e fabricantes de armas como serviços essenciais em todo o país

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Getty images

No sábado (28), o Departamento de Segurança Interna (DHS) do governo do presidente americano, Donald Trump, divulgou diretrizes atualizadas que apontam os fabricantes e varejistas de armas como serviços essenciais, o que significa que eles devem permanecer abertos e operacionais em todo o país durante o combate do vírus chinês.

As diretrizes do DHS (Departamento de Segurança Interna) listam como essenciais:

– Trabalhadores que apoiam a fabricação de equipamentos e uniformes de segurança para policiais, pessoal de segurança pública e socorristas.

– Trabalhadores que apoiam a operação de fabricantes, revendedores, importadores, distribuidores e campos de tiro de produtos de armas de fogo ou munição.

Alan Gottlieb, advogado e fundador da Fundação Segunda Emenda, comentou a declaração do DHS, dizendo: “Todo americano que ama a liberdade deve ao Presidente Trump e ao seu governo um grande obrigado por proteger nossos direitos da Segunda Emenda. Esta é outra promessa de Trump feita e mantida.”

A Segunda Emenda da constituição dos EUA afirma que para a segurança do Estado Livre, o direito dos cidadãos de manter o porte das armas não deve ser infringido. Além disso, o propósito do documento é de dar garantia e preservar a ideia de que todos os seres humanos têm o direito de portar e possuir armas no solo dos estados onde vivem.

A declaração do DHS ocorreu após o governador esquerdista, Phil Murphy, rir diante de um americano que expressou preocupação se houvesse um fechamento de todo o estado de Nova Jersey, e impedisse a venda de armas, eliminando assim, a capacidade de obter uma arma de fogo para defesa pessoal.

Preocupado, o americano questionou Murphy: “Se menos armas reduzissem o crime, você desistiria de seus seguranças pessoais?”

Murphy respondeu sugerindo que ele e o cidadão possuíam uma diferença filosófica no papel das armas, e disse que “uma sociedade mais segura tem menos armas, não mais armas. E as armas que existem estão nas mãos das pessoas certas – particularmente membros treinados da polícia”.

O governador então riu e disse: “Não vai mudar, então lide com isso”.

 

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites