Redes Sociais

EUA

Funcionários de universidade nos EUA pagam multa por discriminação religiosa contra estudantes cristãos

Thaís Garcia

Publicado

em

Funcionários de universidade nos EUA pagam multa por discriminação religiosa contra estudantes cristãos 19
Imagem: Intervaristy

Funcionários da Universidade de Iowa são multados por não permitirem mais a presença da Irmandade Cristã InterVarsity no câmpus universitário, informou a CBN News.

A InterVarsity Christian Fellowship, uma organização para evangelismo estudantil, pediu aos líderes de seu movimento que compartilhassem sua fé cristã. A InterVarsity realiza o seu trabalho no câmpus da universidade pública há mais de 25 anos. Mas em 2018, os funcionários da universidade acusaram a organização de praticar “discriminação”, negando o acesso da organização ao câmpus universitário.

No entanto, o juiz julgou de maneira diferente do esperado pelos acusadores. Ele decidiu que os funcionários devem pagar uma multa do próprio bolso como compensação.

Após o ocorrido, mais denúncias surgiram de outros grupos religiosos que também foram expulsos do campus da Universidade de Iowa. Por outro lado, alguns grupos ativistas seculares foram favorecidos e autorizados a permanecer.

O diretor de relações externas da Irmandade Cristã InterVaristy, Greg Jao, acredita que a organização deve ser formada por líderes que “compartilham sua fé”.

“Nenhum grupo, secular ou religioso, pode sobreviver com líderes que rejeitem seus próprios valores. Somos gratos pelo tribunal interromper essa discriminação religiosa e esperamos continuar nosso ministério entre os estudantes por anos”, disse Greg Jao ao CBS News.

Liberdade religiosa

Existe uma tendência nos EUA de restringir a liberdade de expressão, especialmente a fala religiosa nos câmpus das faculdades.

A religião é uma parte natural da cultura humana e não deve ser removida da praça pública. Isso inclui câmpus universitários públicos, que são reflexos dos estudantes que os frequentam, incluindo estudantes com crenças religiosas.

Grupos religiosos têm o direito de selecionar seus próprios líderes, sem interferência ou envolvimento do governo. Nos EUA, os estudantes americanos não perdem seus direitos, garantidos por lei, à liberdade de expressão, liberdade de exercício religioso e liberdade de associação quando estudam em uma universidade pública.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites