Redes Sociais

Estados Unidos

CEO da Parler, John Matze, anuncia que foi demitido: ‘O futuro da plataforma não está mais em minhas mãos’

Thaís Garcia

Publicado

em

O fundador e CEO da plataforma de mídia social Parler, John Matze, foi demitido da empresa sob a direção do conselho de administração, controlado pela investidora Rebekah Mercer.

“O conselho da Parler controlado por Rebekah Mercer decidiu encerrar imediatamente minha posição como CEO”, disse John Matze em um comunicado, acrescentando que “ele travou batalhas constantes” para fazer o site Parler funcionar, mas neste momento o futuro da plataforma não está mais em suas mãos.

Matze revelou que encontrou “resistência constante” à sua visão do produto, sua forte crença na liberdade de expressão e sua visão de como o site Parler deve ser administrado.

Ele dirigiu palavras de apreço aos colaboradores e utilizadores da Parler: “Quero agradecer aos colaboradores do Parler, ao pessoal da Parler e aos apoiantes da Parler pelo seu trabalho incansável e pela dedicação à empresa. Eles são um grupo incrível de pessoas diversificadas, trabalhadoras e talentosas, e tenho o maior respeito por eles. Muitos deles se tornaram minha segunda família”, disse Matze.

A Parler, que tem mais de 12 milhões de usuários e é utilizado por apoiadores de Donald Trump e conservadores em vários países, entrou com uma ação contra a Amazon em janeiro passado por violação da concorrência e quebra de contrato e interferência comercial ilegal, e pediu ao juiz federal que ordene à empresa que reinicie a plataforma.

A ação foi tomada após a retirada do aplicativo dos servidores da Amazon Web Services (AWS) por “não tomar as medidas adequadas” para evitar “a disseminação de publicações que incitam à violência”, após a manifestação no Capitólio dos Estados Unidos, em 6 de janeiro.

A Parler afirmou que a decisão da Amazon tinha por objetivo “restringir a concorrência eliminando um player do mercado”, além de violar o contrato ao não lhes dar 30 dias de rescisão.