Redes Sociais

Mundo

Encontro histórico de Trump e Kim falhou

Thaís Garcia

Publicado

em

Encontro histórico de Trump e Kim falhou 15
Imagem: AFP

A cúpula histórica entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, fracassou.

Nenhum acordo foi alcançado a respeito da desnuclearização e, portanto, também não haverá rescisão das sanções econômicas impostas sobre o país norte-coreano. Os dois líderes deixaram o hotel Sofitel Metropole, em Hanói, em carros separados.

“Às vezes, é melhor ir embora”, disse Trump, na manhã desta quinta-feira na capital vietnamita. Depois de uma breve explicação para a mídia, o chefe de Estado embarcou no Air Force One e voou de volta para os Estados Unidos.

Perspectivas
Na noite de quarta-feira, as expectativas ainda eram altas, após o primeiro encontro dos líderes.

A retomada da reunião foi iniciada nesta manhã, com a esperança de um acordo sobre a desnuclearização da Coreia do Norte; e em troca, esperava-se, pelo menos, o alívio das severas sanções internacionais. O anúncio de um tratado de paz para pôr fim formalmente à Guerra da Coreia também pairou no ar.

Porém, o dia tomou um rumo diferente. Logo pela manhã, foi dada a notícia de que o almoço agendado entre Trump e Kim, havia sido cancelado. O anúncio indicava que um acordo entre os dois líderes estava fora de cogitação. Por volta do meio-dia, horário vietnamita, foi esclarecido que as discussões haviam fracassado completamente.
A Coreia do Norte se mostrou preparada para desistir apenas de parte do seu controverso programa de armas nucleares. Em troca, Kim exigiu a rescisão de todas as sanções contra seu país. Esta última, foi negada por Trump, devido ao fato do líder norte-coreano não mostrar vontade de desmantelar todo o seu arsenal nuclear.

Escassez alimentar severa
O fato das negociações encerrarem sem os resultados esperados, é prejudicial à Coreia do Norte. O país passa por uma grave escassez de alimentos, e o cancelamento das medidas punitivas seriam de extrema necessidade.
A Coreia do Norte espera este ano, um deficit de 1,4 milhão de toneladas na produção de alimentos. Isso será o resultado de secas, inundações e destas sanções internacionais.

Além disso, o país asiático prevê uma safra decepcionante de arroz, trigo, batata e soja. A porção diária de alimentos para a população foi reduzida de 550 para 300 gramas.

Expectativas futuras
Um porta-voz da Casa Branca informou que os dois líderes tiveram “reuniões muito boas e construtivas em Hanói, mas nenhum acordo foi alcançado desta vez”. E acrescentou, “Ambos os governos esperam que, no futuro, possam se reunir novamente”.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites