Redes Sociais

Mundo

Emirados Árabes Unidos confirmam 4 casos de vírus corona em turistas chineses. Primeiros casos no Oriente Médio

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Colagem/Conexão Política

Na quarta-feira (29), os Emirados Árabes Unidos (EAU) confirmaram quatro casos do novo vírus corona. Quatro turistas chineses de uma mesma família se tornaram os primeiros casos no Oriente Médio do novo vírus chinês que causa sintomas de gripe. Um médico dos Emirados informou a Associated Press (AP) que o primeiro a ficar doente só apresentou sintomas após mais de uma semana de férias no país.

Hussein al-Rand, subsecretário assistente do Ministério da Saúde e Prevenção dos Emirados Árabes Unidos, disse à AP que não havia motivo para entrar em pânico. No entanto, ele reconheceu que as autoridades dos Emirados agora estão seguindo os passos da família, desde o desembarque nesta federação de sete emirados, que inclui Dubai e Abu Dhabi.

“A condição deles é estável, eles estão acordados, todos estão recebendo todas as medidas. Eu diria ao público: por favor, não entre em pânico. O estado de saúde nos Emirados Árabes Unidos é seguro”, disse al-Rand.

Segundo al-Rand, entre os doentes da família estão a avó, a filha, o marido da filha e a filha de 9 anos do casal.

A família de Wuhan, epicentro do surto viral, entrou nos Emirados Árabes Unidos em 16 de janeiro. Ele se recusou a nomear a companhia aérea em que a família voava e o aeroporto em que chegaram. Os Emirados Árabes Unidos abrigam as transportadoras de longo curso Emirates e Etihad Airways e são um centro para viagens aéreas globais. Al-Rand também se recusou a dizer quais cidades eles visitaram durante as férias.

As autoridades do aeroporto de Abu Dhabi e do Aeroporto Internacional do Dubai, as mais movimentadas do mundo para viagens internacionais, começaram a rastrear passageiros e tripulantes nos voos de entrada da China em 23 de janeiro. Foi nesse dia que a China fechou o aeroporto de Wuhan e outros transportes na cidade para impedir a propagação de o vírus. Desde então, o bloqueio se expandiu para incluir 17 cidades com mais de 50 milhões de pessoas no total.

No mesmo dia, 23 de janeiro, a avó da família adoeceu e procurou atendimento médico, disse al-Rand. A conscientização pública sobre o vírus se espalhou amplamente e os médicos testaram a avó quanto ao novo coronavírus e obtiveram um resultado positivo. As autoridades testaram os outros três logo após e também deram positivo.

Na quarta-feira (29), seis dias após a avó adoecer, os Emirados Árabes Unidos anunciaram os casos, fornecendo inicialmente poucas informações. Mais tarde, confirmaram o número de doentes e sua nacionalidade. A Organização Mundial da Saúde, que acompanha os que adoecem com o novo vírus, relatou os quatro casos nos Emirados Árabes Unidos na noite de quarta-feira.

As autoridades dos Emirados estão tomando “todas as precauções necessárias de acordo com as recomendações, condições e padrões científicos aprovados pela Organização Mundial da Saúde”, afirmou o Ministério da Saúde e Prevenção.

“O estado geral de saúde não é motivo de preocupação”, afirmou o Ministério de Saúde e Prevenção dos EAU.

A mídia estatal e de apoio ao governo nos Emirados Árabes Unidos anunciou cuidadosamente a notícia na quarta-feira, enfatizando que as autoridades disseram que estavam sob controle. No entanto, rapidamente surgiram relatos de máscaras faciais vendidas em farmácias, pois um varejista on-line popular as considerava um item de tendência.

Na Arab Health, uma importante feira que acontece esta semana em Dubai, alguns visitantes e expositores usavam máscaras cirúrgicas enquanto caminhavam entre as multidões. Alguns turistas também estão usando máscaras enquanto visitavam locais em Dubai.

Visitantes e expositores usam máscaras na Arab Health Exhibition em Dubai, Emirados Árabes, quarta-feira, 29 de janeiro de 2020. Foto: AP.

Al-Rand se recusou a nomear o hospital dos Emirados. Os quatro agora estão recebendo tratamento. Ele também se recusou a dizer quantas pessoas entraram em contato com a família ao rastrear as suas viagens nos Emirados Árabes Unidos.

Enquanto isso, a companhia aérea Emirates disse que manterá seus vôos para Pequim, Guangzhou e Xangai, além de Hong Kong.

“Estamos fornecendo máscaras e desinfetantes para todas as tripulações em nossos voos para a China. Nossa tripulação que atende passageiros com qualquer sintoma foi aconselhada a usar máscaras a bordo”, disse a Emirates em um comunicado.

Chineses e Emirados

Diante dos preços mais baixos do petróleo e do mercado imobiliário em queda, os Emirados Árabes Unidos têm buscado agressivamente mais turistas chineses a este país, lar do edifício mais alto do mundo.

Os visitantes chineses do país podem obter vistos na chegada aos Emirados Árabes Unidos. Os shoppings de Dubai agora têm placas em Chinês ao lado do Árabe e Inglês, com grupos de excursão para compradores sofisticados visando lojas de luxo.

Em 2019, somente Dubai recebeu 989.000 turistas da China, um aumento de 15% em relação aos 857.000 em 2018, de acordo com o departamento de turismo da cidade-estado.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites