Redes Sociais

França

Deputado Daniel Silveira participa do 1º Workshop Internacional sobre Detecção de Câncer com Cães na França

Thaís Garcia

Publicado

em

Imagem: Daniel Silveira/Twitter

O deputado Federal do PSL-RJ, Daniel Silveira, participa do 1º Workshop Internacional sobre Detecção de Câncer com Cães, realizado em Paris, nos dias 1 e 2 de outubro de 2019. O projeto KDOG, realizador do evento, treina cães para usar o olfato para detectar tumores. O método não invasivo pode revolucionar os testes para o câncer.

O encontro contou com a participação das equipes envolvidas em tais projetos e também de pesquisadores, médicos e prestadores de cuidados, veterinários e treinadores de cães.

Há alguns anos, tem havido um número crescente de publicações científicas sobre detecção de câncer com odorologia canina. Muitas equipes surgiram em todo o mundo para treinar cães para detectar diferentes tipos de câncer (mama, próstata, pulmão), com amostras diferentes (urina, respiração exalada, secreções cutâneas) e métodos diferentes (tipo de cachorro, processo de avaliação, etc.).

Apesar do crescente interesse pelo tema, nenhuma disciplina científica surgiu. Daí a criação deste primeiro workshop internacional.

Durante o encontro, os participantes aprendem a reunir equipes em todo o mundo para trabalhar na detecção de câncer, através da odorologia canina. Eles também são ensinados a criar uma nova “disciplina científica”, realizam intercâmbio de boas práticas e iniciam colaborações.

Daniel Silveira
O policial militar, vice-líder do PSL e vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados, o deputado federal Daniel Silveira, foi ao encontro a convite do Parlamento francês.

O deputado está entusiasmado e quer implementar o método no Brasil.

““É uma coisa absurda, muito simples, 98% de assertividade, e isso poderia ajudar muito, se implantado no Brasil – por isso que eu vim aqui a convite do parlamento francês – para que nós possamos levar essa metodologia e treinar cães. Já tem um amigo meu que está treinando os cães para esse tipo de método”, disse Daniel Silveira.

“Já dizem que cachorro é o melhor amigo do homem, então, isso o torna mais ainda”, conclui o deputado.

Em um vídeo postado no Twitter, o deputado explicou a simplicidade da metodologia utilizada para a detecção do câncer com a ajuda dos KDOGs – cães treinados para a detecção do câncer – porém, de extrema eficiência.

Assista ao vídeo de Daniel Silveira abaixo, explicando o método do KDOG.

KDOG
O KDOG é um programa de pesquisa em inovação médica, sustentado pelo Instituto Francês Curie (Paris). Ele elabora um método simples, não invasivo e econômico de rastreamento do câncer de mama, que seria baseado nos cães.

O projeto KDOG reúne profissionais de saúde (enfermeiros, cirurgiões, oncologistas, anestesistas …) do Institut Curie, além de pesquisadores em química e biologia; e, também de veterinários e tratadores de cães. Ajudados por vários voluntários entusiasmados, esses profissionais colaboram para melhorar o diagnóstico e o tratamento do câncer de mama.

Cães farejadores contra o câncer

Desde 2016, a equipe KDOG está trabalhando para tirar proveito do impressionante senso de cheiro dos cães para detectar o câncer de mama. Atualmente, os cães são treinados por especialistas em cães, para reconhecer o odor do câncer a partir de uma simples compressa. O objetivo é detectar o câncer em seu estágio inicial. Este método é absolutamente sem contato entre o animal e o paciente. Durante o estudo, a taxa de sucesso dos cães na detecção de câncer foi de cerca de 100%.

Os testes na França poderiam significar que, no futuro, as mulheres não precisarão se submeter a mamografias, o que é desconfortável e exige equipamentos caros que não estão disponíveis nos países em desenvolvimento.

Os ensaios clínicos do KDOG foram realizados pelo treinador de cães da cidade de Lyon, na França, Jacky Experton, e pelo Institut Curie, de Paris. Os cães podem cheirar o câncer, mesmo em um estágio inicial, em amostras de roupas usadas por mulheres.

O treinador Experton desenvolveu um procedimento em que uma mulher usa uma pequena amostra de tecido dentro do sutiã, e essa amostra é enviada para testes. As amostras de tecido são apresentadas aos cães em pratos estéreis e, em seguida, identificam as que têm cheiro de câncer. Os cães experimentam o trabalho de identificar os pratos corretos como um jogo agradável.

Treinar cães para detectar câncer não é invasivo e é mais barato do que comprar uma máquina de mamografia ou outros equipamentos caros para a constatação do câncer.

Os cães se tornarão amplamente utilizados, mesmo os países em desenvolvimento terão acesso à triagem, pois os panos de amostras podem ser colocados em qualquer lugar onde os cães estejam.

Reino Unido
O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS) também financia um estudo clínico para testar cães de detecção médica, especialmente treinados, para detectar o câncer de próstata em amostras de urina.

Tumores difíceis

Os treinamentos atuais estão focados apenas no câncer de mama, pulmão e próstata. Mas uma vez que o método de triagem seja clinicamente validado, o Institut Curie prevê a repetição dos treinamentos para outros tumores difíceis de detectar, como o câncer de ovário.

Os animais parecem registrar concentrações muito baixas de compostos orgânicos voláteis gerados por tumores malignos que acabam na respiração humana, na urina ou na pele. Possivelmente, é uma mistura de várias substâncias que espalham o perfume específico do câncer que apenas os cães conseguem captar.

Atualmente, o rastreamento do câncer de mama é realizado com a tecnologia de raios-X, potencialmente causando o próprio câncer através da radiação ionizante. Cães com detecção de câncer evitariam isso. Eles também podem ser uma alternativa barata para países de baixa renda, pois não é necessário nenhum equipamento caro.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.

alan correa criação de sites