Redes Sociais

Mundo

Democratas rejeitam próprio acordo de imigração em oposição a Trump

Corina Furtado

Publicado

em

Democratas rejeitam próprio acordo de imigração em oposição a Trump 20
Imagem: AP

A chamada Bridge Act já foi classificada como urgentemente necessária pelos Democratas para proteger os jovens imigrantes trazidos para o país ilegalmente quando crianças. Todavia, agora que o presidente Trump se ofereceu para incluí-la essencialmente como parte de um acordo para reabrir as agências governamentais fechadas por ocasião do shutdown, esses mesmos democratas a rejeitam – resistentes em negociar o financiamento do muro em troca das proteções de imigrantes que há muito procuram.

Precisamos agir rapidamente na Bridge Act para proteger os DREAMers“, disse o senador democrata de Illinois, Dick Durbin, em Dezembro de 2016 (DREAMers é como são chamadas os cerca de 750.000 imigrantes sem documentação que adentram os EUA enquanto crianças).

Durbin, juntamente com a senadora republicana da Carolina do Sul, Lindsey Graham, divulgou o projeto antes da posse de Trump; outros que assinaram como apoiadores incluíram a senadora democrata da Califórnia, Dianne Feinstein.

Presidente Trump acabaria por tentar pôr um fim no programa DACA (Deferred Action for Childhood Arrivals – Ação Diferida para Chegadas Infantis, em Inglês) da era Obama, que protegeu 700.000 imigrantes, ilegalmente trazidos para os Estados Unidos quando eram crianças, de sofrer deportação  – mas deixou o programa em um limbo legal desde então.

No último sábado, 19/01, porém, Trump anunciou que estava preparado para apoiar uma extensão de três anos de proteções para beneficiários da DACA e estender a proteção para 300.000 beneficiários do programa Temporary Protected Status (TPS – Status protegido temporário, em Inglês) – que protege imigrantes de países em condições adversas e que impedem seus nacionais de retornar com segurança.

A Lei BRIDGE, da mesma forma, incluiu uma extensão DACA de três anos.

No entanto, Durbin, como praticamente todos os outros democratas do Congresso, disse que se oporia à oferta de Trump, considerando que está vinculada a liberação de US$ 5,7 bilhões para construção de um muro na fronteira entre Estados Unidos e México.

Não posso apoiar a oferta proposta conforme relatado e não acredito que vá ser aprovada pelo Senado”, disse Durbin, acrescentando que está “pronto para se sentar a qualquer momento depois que o governo for aberto e trabalhar para resolver todos os problemas pendentes“.

https://twitter.com/SenatorDurbin/status/1086709864628449282

 

Durbin, falando a repórteres em Illinois no fim de semana, argumentou que há algumas diferenças entre o que o presidente está propondo e o que está na sua versão da BRIDGE Act, dizendo que quer estender proteções para mais pessoas do que Trump.

Ele falou sobre proteger aqueles que já estão no programa”, disse Durbin. “Nossa proposta de lei falou sobre aqueles elegíveis para o programa.”

Os republicanos acusam os democratas de darem as costas a um acordo que antes apoiavam.

O Senador republicano Marco Rubio, pelo estado da Flórida, se pronunciou no twitter: 

@POTUS oferece apoio a dois projetos de lei patrocinados pelos Democratas (extensões TPS e DACA) em troca de Segurança na Fronteira (algo que os democratas alegam apoiar) e a resposta imediata dos líderes Dem é não?

Presidente Trump, em um discurso televisionado pela Casa Branca no sábado, ofereceu aos democratas o pacote de compromisso em troca do financiamento de US $ 5,7 bilhões – um pedido que está no centro do impasse que desencadeou a mais longa paralisação do governo na história.

As paredes não são imorais”, disse ele, acrescentando que um muro “vai salvar muitas vidas e impedir que drogas entrem em nosso país“.

Embora a liderança democrata no Congresso tenha se oposto ao compromisso, eles estão enfrentando alguma pressão para ceder. O conselho editorial do Washington Post no fim de semana pediu aos democratas que voltassem à mesa de negociações.

Em um editorial intitulado “Façam um acordo. Salve os DREAMers ”, o jornal argumentou que Trump “não deveria ser recompensado por ter tomado o governo como refém ”, mas disse que a oferta de Trump “deve ser bem-vinda”.

Enquanto isso, na base conservadora de Trump, alguns estão saindo contra o acordo, como a comentarista Ann Coulter e outros, que estão acusando o presidente de oferecer “anistia”.

O plano também destinaria US$ 800 milhões para a tecnologia de detecção de drogas e para segurança das suas portas de entrada, além da contratação de 2.750 novos agentes de fronteira e agentes da lei e de 75 novos juízes de imigração para reduzir uma imensa demanda de pedidos de refúgio.

A paralisação parcial do governo se arrasta há um mês e levou centenas de milhares de trabalhadores federais a serem liberados ou a trabalhar sem remuneração. Trump disse que não vai assinar um projeto de lei para abrir o governo a menos que inclua o financiamento do muro, enquanto os democratas se recusam a considerar o valor de US$ 5,7 bilhões, oferecendo ao invés disso, US$ 1,3 bilhão para a segurança das fronteiras.

Com informações, InfoWars

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Professora de Inglês, pesquisadora na área de Linguística Aplicada e bacharel em Direito. Nordestina, conservadora e apaixonada por política.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites