Redes Sociais

Coreia do Norte

Coreia do Norte entre seca extrema e temores de escassez de alimentos

“[…] uma feroz batalha contra a natureza para proteger o socialismo”.

Redação

Publicado

em

Coreia do Norte entre seca extrema e temores de escassez de alimentos 20
AP Photo/Wong Maye-E, File

A Coreia do Norte divulgou na quarta-feira que está sofrendo sua pior seca das últimas quatro décadas, em meio a preocupações crescentes de que o país chegue a ficar sem comida.

A agência de notícias estatal Coreana disse que apenas 2,1 centímetros de chuva caíram em todo o país nos primeiros cinco meses deste ano, a menor quantidade desde o mesmo período em 1982, quando 2 polegadas de chuva caíram em média.

As condições atuais, descritas pela KCNA como “seca extrema”, devem continuar pelo menos até o final de maio.

Os meios de comunicação norte-coreanos pediram aos cidadãos nesta quinta-feira que encontrem novas fontes de água, de acordo com a agência de notícias Yonhap.

O jornal Rodong Sinmun do país informou que os trabalhadores estão tentando encontrar novas fontes de água e mobilizar bombas e equipamentos de irrigação para minimizar os danos à agricultura.

Rodong Sinmun disse que os esforços fazem parte da “luta para evitar danos causados ​​pela seca é uma feroz batalha contra a natureza para proteger o socialismo”.

No início deste mês, agências de alimentos das Nações Unidas disseram em uma avaliação conjunta que cerca de 10 milhões de pessoas na Coreia do Norte, cerca de 40% da população, estavam enfrentando “grave escassez de alimentos” depois que o país sofreu uma das piores colheitas em uma década.

“A situação pode piorar ainda mais durante a baixa temporada de maio a setembro, se não forem tomadas ações humanitárias adequadas e urgentes”, disse o relatório.

Autoridades norte-coreanas culparam a falta de alimentos com o mau tempo e as sanções econômicas internacionais que foram endurecidas depois que o país realizou uma série de testes nucleares e de mísseis de alto nível nos últimos anos.

Em fevereiro, o embaixador da Coreia do Norte na Organização das Nações Unidas, Kim Song, emitiu um raro apelo por assistência alimentar urgente, dizendo que as sanções eram “bárbaras e desumanas”, segundo a Sky News.

“Há uma terrível restrição por sanções às importações de todos os tipos de instalações de metalurgia, como tratores, colheitadeiras … bem como fertilizantes químicos, pesticidas e herbicidas”, escreveu ele.

Em fevereiro, o presidente Trump e o ditador norte-coreano Kim Jong Un se encontraram no Vietnã para uma segunda cúpula, mas as negociações fracassaram. A Coreia solicitou alívio de sanções em troca de medidas de desnuclearização parcial. Os EUA se recusaram, insistindo que as sanções não seriam relaxadas até a completa desnuclearização.

A Coreia do Norte sofreu uma fome devastadora em meados da década de 1990, que, segundo estimativas, matou centenas de milhares de pessoas.


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

O Conexão Política é um portal de notícias independente — compromissado em transmitir os fatos. Analisamos e cobrimos os principais assuntos da política. Contribua: apoia.se/conexaopolitica

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites