Redes Sociais

Mundo

Companhia aérea chinesa alega risco de Covid-19 e veta brasileiros

Marcos Rocha

Publicado

em

Divulgação | China Southern Airlines

A companhia aérea chinesa China Southern Airlines não transportará passageiros do Brasil com destino à China, “de acordo com as necessidades de prevenção e controle da pandemia”.

Considerando que não existe atualmente qualquer ligação direta entre o Brasil e a China, a decisão fecha mais uma das poucas alternativas para viajar entre os dois países.

Em comunicado, a empresa diz que a “suspensão temporária” abrange todos os passageiros, incluindo cidadãos chineses, que pretendem viajar do Brasil para a China por meio de outro país.

Vinte e cinco países já constam da lista de proibições da companhia aérea sediada em Guangzhou, incluindo Moçambique.

A China Southern Airlines opera voos regulares entre a capital francesa, Paris, e Guangzhou, capital de Guangdong, província no sul da China próxima a Macau.

A companhia aérea de bandeira chinesa Air China já tinha suspendido, em setembro passado, as operações na rota que ligava a cidade de São Paulo à capital chinesa, Pequim, por meio da capital espanhola, Madri.

A suspensão esteve inicialmente em vigor até o final de março, mas foi prolongada pelo menos até 30 de junho.

A retomada dos voos dependerá da situação da pandemia no Brasil, segundo a Air China.

Com informações, Agência Brasil.

FALE COMIGO: [email protected] — editor-chefe do Conexão Política e natural de Campo Grande (MS).