Redes Sociais

Canadá

Eleições 2019 no Canadá: Seria o início da queda de Justin Trudeau?

Thaís Garcia

Publicado

em

Eleições 2019 no Canadá: Seria o início da queda de Justin Trudeau? 19
Imagem: © REUTERS

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, conseguiu manter sua posição, mas não conquistou a maioria nas eleições federais canadenses realizadas nesta segunda-feira (21). Seria então o início de sua queda?

Por pouco, o Partido Liberal de Justin Trudeau manteve o poder na disputa eleitoral canadense, conquistando 157 assentos dos 338, 13 a menos do que a maioria necessária. O resultado mostrou um primeiro-ministro significativamente enfraquecido, tendo perdido parte de seu carisma político conquistado anteriormente. Agora, o primeiro-ministro dependerá de outras partes e rivais para aprovar a legislação.

Em 2015, Justin Trudeau tornou-se popular, depois de prometer “mudança real” e fazer votos para promulgar ações “progressivas” globalistas em áreas-chave do país. No entanto, quatro anos depois, Trudeau foi criticado por não cumprir o que prometeu. No geral, o partido de Trudeau conquistou apenas 33% dos votos dos eleitores canadenses.

Nessas eleições, os conservadores da oposição conquistaram 34,5%, com 121 assentos, mas não ainda o suficiente para ultrapassar os assentos da esquerda globalista. No entanto, eles conquistaram 24 assentos a mais do que nas últimas eleições de 2015.

Entre os outros candidatos, o centro-esquerda Bloco Québécois obteve enormes ganhos, alcançando 22 assentos adicionais, totalizando um total de 32, contra 10 nas eleições de 2015. O Partido Verde também ganhou 1 assento a mais, totalizando 3 assentos no parlamento.

Além do partido de Trudeau, as perdas também atingiram os socialistas do Novo Partido Democrático (NPD) e os de direita do Partido Popular do Canadá. O Novo Partido Democrático perdeu 14 assentos, finalizando com um total de 25, enquanto o Partido Popular do Canadá não conseguiu conquistar nenhum assento.

Conservadorismo
O Partido Conservador acredita que terá mais espaço para governar, à medida que os partidos de direita forem avançando com seus fortes argumentos econômicos, como o comprometimento de reduzir os impostos e equilibrar o orçamento.

O movimento conservador no Canadá ainda engatinha, mas aos poucos vai conquistando seu espaço. A preocupação em manter e proteger os valores tradicionais da família ainda não foi muito discutida ou pronunciada pelo partido em suas campanhas federais ou em decisões tomadas dentro do parlamento.

No entanto, em Ontário, o governo provincial conservador de Doug Ford derrubou um governo liberal de longa data com promessas de revogar a educação sexual progressiva em escolas públicas, cortar a gordura no governo e conter a maré de refugiados que cruzam a fronteira com os EUA.

Governo de Coalizão
Para que a legislação seja aprovada, é necessário o apoio de uma maioria de pelo menos 170 deputados. Isso significa que os globalistas liberais não têm mais um governo majoritário e, portanto, precisarão obter apoio de outras partes para aprovar o processo legislativo e assegurar estabilidade governamental e segurança jurídica às relações sociais entre cidadãos, instituições e empresas.

O Novo Partido Democrata disse que não trabalhará com os conservadores. E o Partido Verde, com 3 assentos, se recusa a apoiar qualquer oleoduto ou gasoduto – questões-chave para muitos no Oeste do país, onde as indústrias de petróleo e gás representam grande parte da economia.

Governos minoritários não são incomuns no Canadá. Houve três nos últimos 15 anos, mas os governos de coalizão são raros.

Em 2008, uma última coalizão foi tentada entre os liberais e o NDP, mas foi dissolvida quando o então primeiro-ministro Stephen Harper, do Partido Conservador do Canadá, aprovou o parlamento.

Agora, o primeiro-ministro enfrentará um cenário em que ele será obrigado a desenvolver habilidades de persuasão e negociação para aprovar a legislação e enfrentará a real ameaça de ser destituído por seus rivais.

Após sua “vitória”, Trudeau falou em “unificação” em seu discurso em Montreal.

“Não buscamos dificuldades para ninguém, mas prosperidade para todos, e se nos unirmos a esses objetivos comuns, sei que poderemos alcançá-los”, disse Trudeau.

Início da queda
Apesar de sua retórica, o primeiro-ministro claramente perdeu parte de seu apoio popular. Essa perda de popularidade entre os eleitores é resultado de falhas por parte de Trudeau.

Essas “falhas” incluem uma promessa de revisão do sistema eleitoral do Canadá e uma promessa de equilibrar o orçamento deste ano, além de vários escândalos que envolveram o seu nome.

Dentre os escândalos estão as acusações de que ele pressurizou indevidamente a então procuradora-geral, Jody Wilson-Raybould, para ajudar uma grande empresa de engenharia a evitar acusações de corrupção.

Embora o apoio liberal tenha “sobrevivido” aos escândalos, de acordo com a recente votação, Trudeau tem motivos suficientes para se preocupar com sua popularidade com os eleitores canadenses e sua possível queda.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites