Redes Sociais

Canadá

Air Canada não chamará mais os passageiros de “senhoras e senhores” e usará o termo neutro “todo mundo”

Thaís Garcia

Publicado

em

Air Canada não chamará mais os passageiros de “senhoras e senhores” e usará o termo neutro “todo mundo” 19

A Air Canada anunciou que suas tripulações de voo não receberão mais os passageiros com o respeitoso “senhoras e senhores”, ao fazer chamadas públicas no portão de embarque ou em suas aeronaves. Em vez disso, os comissários de bordo usarão o termo “neutro” “todo mundo” ao servir seus clientes, informou a mídia canadense La Presse.

Nesta segunda-feira (14), a companhia aérea anunciou em um memorando interno que a mudança deve ser usada por agentes do portão de embarque, comissários de bordo e pilotos.

“Queremos garantir um espaço inclusivo para todos, incluindo aqueles que se identificam com o sexo X”, dizia o memorando.

“Vamos alterar nossos anúncios a bordo para modernizá-los e remover referências específicas ao sexo. Trabalhamos duro para garantir que todos os funcionários se sintam como membros valiosos da família Air Canada e, ao mesmo tempo, garantam que nossos clientes estejam confortáveis e sejam respeitados quando optarem por viajar conosco”, afirmou a empresa no comunicado.

A Air Canada não confirmou quando a mudança ocorrerá.

O Canadá foi um dos primeiros países a adotar a agenda ativista LBGT, inserindo a fantasiosa ideologia do sexo “neutro” em suas leis.

Air Canada não chamará mais os passageiros de “senhoras e senhores” e usará o termo neutro “todo mundo” 20

O governo canadense também recomendou que suas províncias ofereçam uma “terceira opção de sexo” não-binária e rotulada como “X” em documentos oficiais, como certidões de nascimento. Os passaportes canadenses também estão disponíveis com a identificação “sexo X”.

Uma usuária do Twitter, @vikkilunn, criticou a mudança da companhia aérea canadense.

“Então, aqueles que gostam de ser referidos de acordo com o sexo não contam mais?”, disse Vikki.

Outra usuária, @AndreaBeeee, também comentou a decisão da Air Canada.

“Mas eu não quero ser chamada de “todo mundo”, quero o reconhecimento do meu sexo feminino!”

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites