Redes Sociais

Estados Unidos

Biólogo molecular por trás de pesquisa promissora sobre o coronavírus é morto a tiros em sua casa nos EUA

Thaís Garcia

Publicado

em

Um pesquisador da Universidade de Pittsburgh, nos EUA, foi morto a tiros em sua própria casa no dia 2 de maio. Segundo seu empregador, Bing Liu, de 37 anos, estava prestes a fazer “descobertas muito importantes” sobre o coronavírus chinês. A polícia também encontrou outro homem morto em um carro em frente à residência de Bing.

A polícia encontrou o biólogo morto em sua casa em Elm Court, a cerca de 60 km de Pittsburgh. Bing sofreu ferimentos de bala na cabeça, pescoço, peito e membros.

Outro homem, de 46 anos, Hao Gu, também foi encontrado morto em seu carro estacionado não muito longe da casa do pesquisador. O canal local Action News 4 informou que a polícia acredita que Hao Gu seja o autor do assassinato de Bing, e que tenha se matado logo em seguida.

Os investigadores suspeitam que os dois se conheciam, mas ainda não sabem qual poderia ser o motivo do assassinato e do suposto “suicídio”. A polícia local passou o caso para o FBI por envolver a morte de estrangeiros.

Bing Liu foi professor assistente de pesquisa na Universidade de Pittsburgh, estado da Pensilvânia, nos EUA, onde trabalhou como biólogo molecular para entender os mecanismos celulares subjacentes à infecção por coronavírus chinês (SARS-CoV-2) e a base celular das seguintes complicações. Segundo seus colegas, ele se destacou por isso e estava perto de um avanço.

Segundo um comunicado da Universidade de Pittsburgh, Dr. Bing Liu foi um excelente pesquisador, que conquistou o respeito e a apreciação de muitos colegas da área e fez contribuições únicas para a ciência. Sua área de especialização foi modelagem computacional e análise de dinâmica de sistemas biológicos. Ele havia desenvolvido técnicas de computação de alto desempenho e abordagens avançadas de aprendizado de máquina para modelar a evolução temporal de interações celulares complexas, modelos e métodos de rede bayesiana e verificação estatística de modelos e análises de sensibilidade.

Bing era um pesquisador prolífico. Durante sua carreira, ele foi co-autor de mais de 30 publicações, incluindo 4 em 2020, além de um livro.

“Ele, sozinho, ajudou a todos nós, bem como a muitos colaboradores, incluindo clínicos aqui e em outras instituições, a entender e modelar quantitativamente muitos processos complexos, incluindo eventos de sinalização imunológica, morte celular por apoptose e ferroptose, autofagia, programação lipídica redox, resposta à radiação e radioterapia, sistemas de (poli) tratamentos farmacológicos”, disseram seus colegas em um comunicado da universidade.

Nos últimos anos, Bing teve 3 publicações na Nature Chem Biol, 3 na Radiation Research, 2 na Scientific Reports, 1 na Science Signaling, 1 na International Journal of Molecular Sciences e 1 na Frontiers in Pharmacology.

Mortes misteriosas de médicos

Anteriormente, Lorna Breen, de 49 anos, uma médica de emergência que estava na linha de frente de um hospital de Manhattan, em Nova York, supostamente “tirou a própria vida”.

“Ela estava tentando fazer o trabalho dela e morreu por causa disso”, disse seu pai, Philip Breen, outro médico ao The New York Times.

A médica Lorna Breen, de 49 anos.

Segundo Philip Breen, a filha havia contraído o coronavírus chinês, mas voltou ao trabalho após uma semana e meia de doença. O hospital a mandou para casa novamente. Seu pai a recebeu em Charlottesville, no estado da Virgínia. Foi então que o drama ocorreu.

Na Rússia, três médicos e pesquisadores, que criticaram a forma como o governo russo está enfrentando a crise da corona no país, “caíram de janelas”. Dois deles morreram, o terceiro está em estado crítico.

Teme-se que esses médicos tenham ter sido atacados por suas críticas ao governo russo, informou o The New York Times.

alan correa criação de sites