Redes Sociais

Austrália

Pais australianos que deixaram bebê gravemente desnutrido com dieta vegana são poupados da prisão

Thaís Garcia

Publicado

em

Pais australianos que deixaram bebê gravemente desnutrido com dieta vegana são poupados da prisão 20
Imagem: Media Modem

Um casal australiano, na casa dos trinta anos, foi condenado a um ano e meio de prisão por colocarem a filha em uma dieta vegana, que deixou a menina seriamente desnutrida. A criança, agora com 3 anos, aparentava ter 3 meses aos seus um ano e meio de idade.

A menina era alimentada com aveia, batatas, pão com geleia ou manteiga de amendoim e arroz, entre outras coisas. No ano passado, ela ainda não possuía dentes, quando sua mãe ligou para os serviços de emergência, depois que a filha desmaiou. A criança chegou ao hospital com os lábios roxos, mãos e pés frios, baixos níveis de açúcar no sangue e pouca força muscular. Seus ossos eram subdesenvolvidos e ela era muito pequena.

Desde o nascimento, a menina nunca teve ajuda médica. No momento em que a ajuda foi solicitada, a criança de 20 meses pesava apenas 4,9 Kg. O peso médio para uma menina de 20 meses é cerca de 10 kg.

Imprudência

O juiz de Sydney, na Austrália, acusou os pais de colocar a criança em uma dieta “totalmente inadequada”.

“Não se trata de negligência, mas de um ato consciente próprio, que levou a ferimentos graves à criança. Além disso, os pais não eram muito jovens, muito imaturos, sem instrução ou inexperientes para perceber que a criança poderia estar em perigo. Eles sabiam o que estavam fazendo”, afirmou o juiz.

No entanto, o juiz também disse acreditar que o crime foi cometido por imprudência, e não por pura malícia. A mãe vegana também sofria de depressão. Por isso, o juiz converteu a pena de 18 meses de prisão para serviço comunitário e os pais devem seguir um curso obrigatório de educação e saúde.

Após uma longa estadia no hospital, a menina agora vive com outro membro da família e o seu desenvolvimento está progredindo. Ela está sendo acompanhada por especialistas e passa por várias terapias para recuperar o atraso sofrido em seu desenvolvimento.

Com informações, Metro UK.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais. Lutando pelos verdadeiros direitos humanos e pela Igreja Perseguida.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites