Redes Sociais

Austrália

Evangélico, primeiro-ministro da Austrália compartilha sobre sua fé: “Sou chamado para fazer a obra de Deus”

Thaís Garcia

Publicado

em

Scott Morrison | Facebook

Na semana passada, o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, compartilhou seu testemunho de fé durante uma conferência nacional das Igrejas Cristãs da Austrália [Australian Christian Churches].

Morrison é o primeiro pentecostal a ocupar o cargo de primeiro-ministro da Austrália.

Em um vídeo da conferência que circula nas plataformas digitais, ele diz: “Não posso salvar o mundo, mas acreditamos em Quem pode”.

Durante o evento, Morrison compartilhou sobre um momento difícil que enfrentou nas últimas duas semanas de sua campanha eleitoral de 2019, quando buscou um sinal de Deus.

“Tenho que admitir que disse a mim mesmo: ‘Sabe, Senhor, onde estás, onde estás? Gostaria de um sinal, se estiver tudo bem”, diz Morrison. “E bem na minha frente, estava a maior foto de uma águia voando que eu poderia imaginar e, claro, o versículo [Isaías 40:29-31] me tocou.”

“A mensagem que recebi naquele dia foi: ‘Scott, você tem que correr para não se cansar, tem que andar para não desfalecer, tem que abrir as asas como uma águia para voar como uma águia’”, relatou.

Fazer a obra de Deus

Scott Morrison falou sobre fazer a obra de Deus e revelou que já utilizou da prática bíblica de “impor as mãos” ao abraçar pessoas que sofreram traumas ou desastres naturais, como durante sua visita a Pilbara, após a passagem do ciclone Seroia.

“Estive em centros de evacuação onde as pessoas pensavam que eu estava apenas dando um abraço em alguém, e orando, e eu estava colocando minhas mãos sobre as pessoas e orando em várias situações”, disse ele.

“Acredito que Deus tem nos usado nesses momentos para sermos capazes de fornecer algum alívio e conforto e apenas algum porto seguro”, destacou.

A esposa dele, Jenny, estava muito grata pelas “orações maravilhosas e apoio” dos cristãos em todo o país.

Mídias sociais

Durante a conferência, Morrison também chamou o uso indevido da mídia social de “obra do maligno” e exortou outros cristãos a orar contra seu “efeito corrosivo na sociedade”.

“Claro, a mídia social tem suas virtudes e seus valores, e permite que nos conectemos com as pessoas de uma maneira que nunca havíamos feito antes”, disse Morrison. “Mas essas armas também podem ser usadas pelo maligno e precisamos denunciá-lo.”

Veja abaixo (em Inglês) um pequeno trecho do testemunho de Morrison durante a conferência nacional das Igrejas Cristãs da Austrália:

Cristã e Correspondente Internacional na Europa.