Redes Sociais

Mundo

Após o sucesso do financiamento da OTAN, Trump cria plano para buscar mais recursos financeiros para defesa dos aliados

Thaís Garcia

Publicado

em

Após o sucesso do financiamento da OTAN, Trump cria plano para buscar mais recursos financeiros para defesa dos aliados 21
Imagem: Reprodução

O governo Trump está trabalhando em uma proposta que exigiria que outros países-membros da OTAN pagassem mais do que o valor total das forças de defesa dos EUA implantadas em seu território.

Chamado de “Custo Mais 50” (Cost Plus 50), as autoridades americanas dizem que o plano pode significar que os países que hospedam tropas americanas pagariam 50% a mais pela proteção que os EUA oferecem contra vizinhos perigosos como a Rússia ou a Coréia do Norte.

Se a ideia for implementada, poderá exigir que países como Alemanha, Japão e Coréia do Sul paguem cinco ou seis vezes mais pela presença militar dos EUA do que já pagam.

O plano potencial faz parte do esforço do presidente Trump de aprovar a “partilha de ônus” entre os aliados. Desde sua campanha, Trump argumentou que os EUA têm sido um dos principais contribuintes de financiamento para projetos de defesa internacional como a OTAN, enquanto outros países aliados ofereceram significativamente menos.

Em 2018, a Bloomberg informou que os Estados Unidos pagaram 1,5% a mais do que o nível mínimo de 2% necessário para o orçamento de US $ 2,7 bilhões da OTAN. Enquanto isso, alguns outros países europeus nem pagaram a metade da quantia necessária.

Desde que assumiu o cargo, o presidente Trump pressionou os líderes estrangeiros a fornecer mais recursos. Os resultados foram um sucesso, pois o financiamento da OTAN aumentou significativamente entre os aliados.

Em janeiro, o presidente Trump foi ao Twitter para comemorar o aumento.

“Jens Stoltenberg, Secretário Geral da OTAN, afirmou que, por minha causa, a OTAN conseguiu levantar muito mais dinheiro do que nunca de seus membros após muitos anos de declínio. Isso se chama compartilhamento de encargos. Além disso, mais unidos. Democratas & Fake News gostam de retratar o contrário!”, tuitou Trump em 27 de janeiro de 2019.

Algumas autoridades aplaudiram a nova ideia de Trump, dizendo que ela garantirá que outros países contribuam mais.

“Se você tem países que claramente podem se dar ao luxo de fazê-lo e não o fazem, porque acham que vamos intervir e fazer isso por eles, o presidente tem um problema com isso”, disse Gordon Sondland, embaixador da União Europeia em uma entrevista à Bloomberg.

Outras autoridades do Departamento de Estado e de Defesa e conselheiros de Trump reagiram, dizendo que forçar os países a pagar pelas tropas americanas levaria os esforços longe demais.

Segundo a Bloomberg, foi pedido às autoridades do Pentágono que estabelecessem duas fórmulas: Uma determina o quanto países como o Japão devem pagar. A segunda determinaria o desconto que esses países receberiam se suas políticas se alinharem estreitamente com os EUA.

O plano potencial também pode incluir se os países terão que pagar salários dos soldados ou o custo das visitas portuárias de porta-aviões e submarinos.

Atualmente, a Alemanha paga cerca de 28% dos custos das forças norte-americanas baseadas lá, ou US $ 1 bilhão por ano. Se o plano for aplicado, países como Alemanha, Japão e Coreia do Sul poderão ver bilhões em aumento gastos com defesa.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais. Lutando pelos verdadeiros direitos humanos e pela Igreja Perseguida.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites