Redes Sociais

Brasil

Nikolas Ferreira comemora manifestações do dia 1° de maio: ‘Estamos lutando contra a tirania’

Apoiadores de Bolsonaro mobilizaram milhares de pessoas em diversas cidades do país

Raul Holderf Nascimento

Publicado

em

Luidgi Carvalho ©

O Conexão Política ouviu, com exclusividade, o vereador Nikolas Ferreira (PRTB), de Belo Horizonte/MG, sobre as manifestações deste último sábado (1°), que levou milhares de pessoas às ruas do país para defender o presidente Jair Bolsonaro, além de reforçar apoio ao acionamento do artigo 142 da Constituição para ‘restabelecer a ordem’.

O voto impresso e a garantia das liberdades individuais também integraram as principais pautas do ato promovido no Dia do Trabalhador.

Segundo Nikolas, as manifestações foram históricas e reforçaram o apoio irrestrito da população ao regime democrático.

“Foi um dia histórico, um dia em que nós mostramos que não vamos deixar que a nossa liberdade seja retirada aos poucos, porque infelizmente durante essa pandemia houve diversas incoerências, como por exemplo, a possibilidade de as pessoas realizarem campanhas políticas, de ter atos AntiFas, Black Lives Matter [Vidas Negras Importam], mas você não poderia fazer manifestações em prol do trabalho”, afirmou o parlamentar.

Em torno da pauta ‘Eu Autorizo, presidente’, em referência à recente fala do chefe do Executivo sobre aguardar um sinal da população para intervir com maior vigor contra medidas autoritárias, o jovem de 24 anos frisou que o presidente da República foi pioneiro na defesa do processo de ampliação das atividades econômicas para evitar o aumento do desemprego e da fome.

“Quem defendeu isso, desde o começo, foi Jair Bolsonaro, uma vez que o STF retirou seus poderes e delegou para governadores e prefeitos, que destruíram Belo Horizonte. Já são mais de 100 mil empregos destruídos, cerca de 12 negócios fechados”, lamentou.

O 1° de maio, que costuma ser uma data simbólica para o espectro político da esquerda, foi totalmente ocupado pela direita brasileira de modo surpreendente neste ano de 2021. Em meio ao surto da Covid-19, Estados e Municípios seguem endurecendo ainda mais as medidas restritivas, afetando diretamente no comércio, indústria, bens e serviços sob a justificativa de conter o avanço da pandemia.

O ato deste último sábado aponta para um real descontentamento da sociedade em torno das ações adotadas pelos representantes do poder público. Surpreendentemente, o mesmo sentimento que ecoou nos anos 2013, 2014, 2016 e 2018, volta a ganhar força agora em 2021, às vésperas de um novo pleito eleitoral.

As manifestações, a exemplo do que aconteceu neste 1º de maio, reforçam a necessidade de reformulação do sistema político, além de incentivar o engajamento das autoridades para promover mais transparência em busca de fortalecer a confiança na democracia.

Eleito sob forte ascensão do conservadorismo, Nikolas foi o segundo vereador mais votado de Belo Horizonte, alçando 29.388 votos. Para ele, a força popular nas ruas evidencia que os brasileiros estão resgatando a consciência da liberdade.

”Foi um dia realmente histórico, lindo. Um dia que mostrou que não iremos desistir. E, assim, vamos conquistando a nossa liberdade, porque quando ela é cedida, nós não valorizamos. E a liberdade precisa ser alcançada sempre”, pontuou.

Por fim, o parlamentar mineiro afirmou que, ao implantar o endurecimento das medidas restritivas, os governantes não apenas retiram a renda da mesa do trabalhador, mas sufocam a dignidade deles.

“Nós fomos às ruas, sim, entendendo que a audácia dos maus se alimenta da omissão e da covardia dos bons. Então, nós fomos até lá, e fizemos uma manifestação maravilhosa, deixando bem claro que o trabalho dignifica o homem, e que eles estão tirando a dignidade das pessoas. Sendo um parlamentar, fico muito feliz em poder representar os quase trinta mil votos que recebi em BH, e de saber que conseguindo lutar contra a tirania. Revoltar-se contra a tirania é obedecer a Deus. E eu tenho muito orgulho da minha cidade. Parabéns, Belo Horizonte!”, completou.

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.