Polícia Federal e Ministério Público Federal temem Ciro Gomes presidente

Autor: 3 Comentários Compartilhar:
Imagem: Edson Dantas | Agência O Globo

A equipe do Antagonista ouviu de integrantes do Ministério Público Federal (MPF) e da Polícia Federal (PF) que Ciro Gomes é o candidato mais rejeitado pelas duas categorias.

O candidato à Presidência pelo PDT tem dito publicamente que, como presidente, vai colocar os investigadores numa caixinha.

Segundo Ciro, o ex-presidente Lula “só tem chance de sair da cadeia se a gente [equipe de seu governo] assumir o poder e organizar a carga”.

Na epóca desta declaração, entidades do MP repudiam declarações de Ciro.

Confira a íntegra da nota:

A Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp) e a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) vêm a público repudiar declarações feitas por Ciro Gomes (PDT-CE) durante sabatina, no último dia 17 de julho, realizada pela Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), em relação à atuação de membro do Ministério Público do Estado de São Paulo e a instituição do Ministério Público brasileiro.

Ao fazer referência a processo criminal movido por promotor de Justiça do Estado de São Paulo e investir contra a instituição do Ministério Público, Ciro Gomes fez uso de palavras desrespeitosas, inapropriadas de manuseio por qualquer cidadão e ainda mais por uma figura pública que ocupou diversos cargos na República, demonstrando postura dissociada dos valores maiores da democracia e do estado democrático de direito.

A democracia e o respeito às instituições constituem elementos essenciais ao Estado de Direito. A vida pública impõe a todos os cidadãos o dever de tratamento respeitoso, para que o debate, sempre que necessário, ocorra no campo das ideias e nos contornos consagrados na Carta Constitucional em vigor, jamais descambando para atentados pessoais ou contra instituições.

O Ministério Público é instituição permanente essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa intransigente dos interesses e valores da sociedade, jamais cogitando-se deixar de cumprir sua missão ante ameaças e tentativas de intimidações, proferidas por e contra quem quer que seja.

O perfil institucional conferido ao Ministério Público pelo constituinte originário, inclusive com as prerrogativas e garantias conferidas a seus membros, constitui patrimônio imaterial da sociedade brasileira e um dos alicerces do estado democrático de direito, devendo seu agir impessoal ocorrer com a independência e autonomia que lhe assegura jamais se subordinar a qualquer ideologia ou segmento, sempre buscando o interesse público.

As prerrogativas de magistratura conferidas ao Ministério Público pela Constituição Federal não são para a própria instituição, mas para a atuação independente em favor da sociedade e do cumprimento rigoroso da lei.

Diante do exposto, as associações, em postura de constante vigilância e defesa da independência e da autonomia do Ministério Público e de seus agentes, manifestam apoio ao promotor de Justiça de São Paulo e à atuação da Associação Paulista do Ministério Público, e repudia qualquer manifestação que, indevida e antidemocraticamente, ameace as prerrogativas, atribuições e independência da instituição ministerial e de seus membros.

Brasília-DF, 18 de julho de 2018.

Vitor Hugo Palmeiro de Azevedo Neto
Presidente da Conamp

José Robalinho Cavalcanti
Presidente da ANPR

Post anterior

STF rejeita denúncia contra Bolsonaro por racismo

Próximo post

Onyx Lorenzoni vai à OAB questionar honorários de advogados de agressor de Bolsonaro

Você pode gostar também:

3 Comentários

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.