Redes Sociais

Coluna

Até o Fernando Gabeira reconheceu que o STF foi arbitrário

Filipe Altamir

Publicado

em

Reprodução | Youtube

Quem assistiu à entrevista do Felipe Neto na Globo News obteve uma grata surpresa diante do Fernando Gabeira, o conhecido progressista que lutou na militância contra o regime militar, mas que é encarado como desafeto e desconforto por muitos esquerdistas. Gabeira tem sua fama de ser sincero e autocrítico quando se trata dos próprios ideais progressistas.

Ao defender os absurdos de costume, Felipe Neto foi indagado pelo Gabeira sobre a ilegitimidade ética e moral das ações arbitrárias do STF ao censurar perfis conservadores e bani-los do debate público e democrático mediante meios cibernéticos. Felipe Neto relutou em concordar, mas acabou dando o braço a torcer após algumas gaguejadas e justificativas de que não teria conhecimento técnico para julgar as ações déspotas provenientes da suprema corte mediante inquérito inconstitucional.

O enquadro do Gabeira foi genial, pois o seu jeito mais diplomático com uma pergunta verdadeira enquadrou o Felipe Neto, que até então só estava acostumado com “puxação de saco” e tapinhas nas costas entre os seus pares progressistas instalados na mídia. O trecho da entrevista obteve repercussão expressiva na internet e está até agora sendo comentado no Twitter.

O Gabeira costuma colocar a própria esquerda em saia justa — revelando as verdades inconvenientes que outrora foram suprimidas do imaginário popular na educação básica e até nas universidades. O atual comentarista da Globo News já admitiu que a esquerda jamais lutou por democracia durante o regime militar e que almejava a implantação da ditadura do proletariado, assim como teceu elogios à obra do Olavo de Carvalho e reconheceu, em contexto da última eleição presidencial, que a esquerda vivia numa bolha ideológica completamente apartada da realidade popular.

Levando esse caso icônico como fundamento básico, podemos concluir que até muitas figuras tradicionais da esquerda reconhecem que as ações recentes do STF são completamente descabidas, desproporcionais e arbitrárias. Bom, se até alguns progressistas dão o braço a torcer para admitirem isso, somente os míopes políticos para negarem fato tão latente.

Posicionar-se contra as absurdidades recentes da suprema corte não trata-se de ideologia política entre esquerda e direita, mas de pura sensatez. Uma ação arbitrária é uma ação ilegítima pela perspectiva ética e moral. E quem é imbuído de um mínimo senso de justiça e adota um sistema de valores expressivos reconhece de cara qualquer ação excessiva, injusta, ilegítima, ilegal e desproporcional.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Escritor formado em Direito, conservador e analista político.

alan correa criação de sites