Redes Sociais

Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro na vanguarda do atraso

Frederico Martins

Publicado

em

O Estado do Rio de Janeiro sofreu durante os últimos 40 anos com péssimos governantes. Mas somos um Estado onde as pessoas são lutadoras, são guerreiras e assim não deixamos o pior acontecer. Se fôssemos acionistas de uma empresa privada, esta certamente teria ido a falência tendo a frentes pessoas como Brizola, Moreira Franco, Nilo Batista, Garotinho, Benedita, Rosinha, Sergio Cabral, Pezão…

Agora, a sociedade deu sua resposta nas urnas, elegendo um governador que durante toda a sua campanha tentou se descolar da imagem do antigo, se intitulando como um verdadeiro outsider, algo extremamente requerido pela sociedade fluminense na hora de escolher seu candidato.

Pois bem, o atual governador Wilson Witzel conseguiu nas urnas superar o candidato da certeza do retrocesso, Eduardo Paes, iniciando sua gestão mostrando que a segurança publica é de fato a prioridade, mas ao mesmo tempo em que sinaliza para a segurança, sinaliza que em julho “não haverá dinheiro em caixa”. O que é de fato muito preocupante. Prioridade deveria ser segurança e também o ajuste fiscal das contas, o que não vem recebendo tanta atenção assim por parte do governador.

A expectativa em cima da “nova política” é muito grande, o que faz com que alguns atos do novo governador causem repulsa na sociedade, como por exemplo, aproximação com o Deputado do PT, André Ceciliano, para presidir a ALERJ; A escolha de nomes da velha política para compor seu secretariado; A aproximação com pessoas ligadas ao grupo do ex-governador Anthony Garotinho e com o próprio ex-governador são atos que mostram que a política do Rio de Janeiro está longe de se livrar das amarras do passado e que levaram o Estado à bancarrota.

Por outro lado, o atual governador possui apenas 15 dias no cargo, o que nos faz crer que os próximos 1445 dias a frente do Estado do Rio de Janeiro serão de realizações, de entrega das obras inacabadas, da redução brutal da criminalidade, do investimento na educação e na saúde, pois é isso que a população clama. É disso que precisamos. O Rio de Janeiro precisa urgentemente voltar ao seu lugar: o de protagonista no cenário nacional.

Por fim, que tenhamos a felicidade de em breve assistir ao surgimento de políticos como Roberto Campos, Carlos Lacerda, Afonso Arinos… Pois nem toda “velha política” é ruim. Renovamos bastante, resta saber se renovamos com qualidade.

Que o tempo nos seja generoso…

Frederico Martins é estrategista em formação de campanhas políticas e de gestão de mandatos. Formado em direito, tendo atuado por grandes escritórios de advocacia, atualmente exerce a função de assessor parlamentar na Alerj.

Publicidade
Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites