Redes Sociais

Política

Sem apoio suficiente e cada vez mais acuado, Maia ameaça pautar impeachment de Bolsonaro nesta segunda-feira

Raul Holderf Nascimento

Publicado

em

Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ameaçou em reunião reservada com aliados aceitar um dos pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro nesta segunda-feira, 1º de fevereiro, seu último dia no cargo.

A informação foi publicada pelos seguintes veículos: GloboNews, Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo.

Segundo esses portais, a ameaça foi uma reação de Maia ao receber a informação de que o Partido dele, o DEM, retirou apoio ao candidato à presidência da Câmara Baleia Rossi (MDB-SP), apoiado por Maia.

O significado desse abandono impacta diretamente na possibilidade de a sigla ingressar no bloco de Arthur Lira (PP-AL), postulante apoiado por Jair Bolsonaro.

Além disso, o Conexão Política apurou que há caciques do DEM inflamando ainda mais a cogitação de Maia, sugerindo que o atual presidente da Câmara dê sinal verde para os processos que pedem o impedimento do chefe do Executivo.

No total, existem 62 pedidos de afastamento do cargo protocolados contra Bolsonaro.

Com os impeachments engavetados, compete ao presidente da Câmara dos Deputados analisar e decidir sobre a abertura ou não dos processos de investigação contra o presidente da República.

Nesta segunda-feira, Câmara e Senado elegem os sucessores de Maia e de Davi Alcolumbre (DEM-AP), respectivamente.

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.