Redes Sociais

Brasil

Romeu Zema critica ações do governo federal na pandemia e diz que faltou ‘coordenação central’

Apontado como aliado de Bolsonaro, governador mineiro aponta erros federais, mas sem responsabilizar o presidente.

Raul Holderf Nascimento

Publicado

em

Marcello Casal Jr | Agência Brasil

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), que recentemente anunciou a implantação da fase roxa, medida mais restritiva nos protocolos que orientam a flexibilização de atividades na pandemia, criticou algumas ações do governo federal, apontando a ausência de uma ‘coordenação central’ no combate da Covid-19.

Ao jornal Folha de S. Paulo, Zema disse que o governo federal deveria ter adotado um ‘planejamento conjunto’.

É pra queimar o estoque! Relógio Analógico Quartz LIGE 9866 por apenas R$ 299,90

“[…] Ele deveria ter tido um cuidado, ter chamado os governadores, os secretários de Saúde, ‘vamos definir um plano único para estarmos combatendo a pandemia’. Aqui em Minas, desde o início da pandemia, eu deixei a cargo da secretaria de Saúde, com especialistas […]”, afirmou.

Sem fazer nenhuma crítica direta ao presidente da República, Zema disse que o mandatário “[…] poderia ter capitaneado essa questão de ter centralizado o combate à pandemia […]”.

Em outro ponto da entrevista, ele condenou os ataques que foram realizados contra Bolsonaro, destacando o termo ‘genocida’, utilizado por opositores, incluindo parlamentares e jornalistas.

Baixou! Relógio Mecânico Quartz NAVIFORCE 9038 por apenas R$ 310

“[…] Não vi nenhum governador ser chamado de genocida e nenhum prefeito. Me parece que há uma certa perseguição a uma pessoa. Ficar xingando, acusando a esta altura do campeonato não vai melhorar a situação”, declarou o governador mineiro.

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.