Redes Sociais

Política

Jantar de R$ 290 mil fez Bolsonaro demitir presidente da Embratur

A informação foi confirmada pelas redes sociais.

Raul Holderf Nascimento

Publicado

em

Isác Nóbrega | PR

Nesta quinta-feira, 28, o presidente Jair Bolsonaro desmentiu Teté Bezerra, que supostamente teria entregue sua carta de demissão ao ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Segundo Bolsonaro, ele próprio exigiu a exoneração de Teté.

A decisão veio após o presidente tomar conhecimento sobre um jantar que seria patrocinado pela empresa na semana que vem ao custo de R$ 290 mil.

Em live transmitida, por meio do Facebook, Bolsonaro disse:

“Chegou ao meu conhecimento que na semana que vem, olha só você, brasileiro, a Embratur, a sua presidente, está patrocinando um jantar. Então, a Embratur patrocinando um jantar. Eu acho que o Alceu Valença, se não me engano, ia cantar no jantar, certo? Preço do jantar: R$ 290 mil. Você ia pagar a conta.”

E acrescentou:

“O que nós fizemos, no dia de ontem mesmo? Entramos em contato com o ministro do Turismo, falei para ele simplesmente cancelar o jantar e também, tendo em vista o tamanho do descalabro aqui, que cancelasse também a função ali da responsável pela Embratur. Então, ela foi exonerada no dia de hoje e também página virada.”

O chefe do Executivo, que concordou com a decisão do presidente, completou:

“Isso é um escracho, um deboche para com o brasileiro, que está cansado de pagar imposto, está cansado de ser extorquido e não ter na ponta da linha uma prestação de serviço.”

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.