Redes Sociais

Política

Ângelo Coronel defende legalização de jogo do bicho para financiar Renda Cidadã

Marcos Rocha

Publicado

em

Imagem: Ana Luiza Sousa

O senador Ângelo Coronel (PSD-BA) afirmou nesta segunda-feira (26) que atividades classificadas como jogos de azar, a exemplo de jogo do bicho, bingos e máquinas de caça-níquel, devem ser legalizadas para ajudar a União a ter dinheiro.

A declaração foi proferida durante entrevista na Rádio Bandeirantes. O parlamentar, que é relator de projeto de lei que defende a regularização dessas atividades.

De acordo com ele, a medida pode render cerca de R$ 50 bilhões aos cofres públicos.

Esse valor, segundo Coronel, poderia ser revertido em diversas ações de política social, como o próprio financiamento do Renda Cidadã.

A atual legislação brasileira classifica a prática de jogos de azar como contravenção.

“Jogo não é costume. É uma atividade empresarial”, declarou o senador ao defender a regularização.

Ainda à rádio Bandeirantes, o congressista admitiu o hábito de “fazer uma fezinha”. Ele classificou como “hipocrisia” a atitude quem se coloca contra a prática desses jogos.

Em agosto, durante entrevista ao Jornal Bahia, ele deu maiores detalhes sobre a proposta legislativa.

“O meu relatório está contemplando a implantação de cassinos, legalização do jogo do bicho, bingos e apostas na internet. Ou seja, todas as modalidades de jogos serão contempladas neste relatório que eu estou fazendo. Não estou focado somente na questão de bingos, porque tem projetos que focaram mais e priorizaram esse quesito”, disse na ocasião.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Editor-chefe do Conexão Política; residente e natural de Campo Grande/MS | FALE COMIGO: [email protected]

alan correa criação de sites