Redes Sociais

Brasil

“O perdão é algo pessoal”, diz Bolsonaro em carta aos Israelenses após declaração sobre holocausto

Matheus F. Romero

Publicado

em

O presidente da República, Jair Bolsonaro (Imagem: Reprodução)

O presidente da República, Jair Bolsonaro, enviou uma carta à embaixada de Israel no Brasil, na intenção de explicar sua declaração de que o Holocausto poderia ser perdoado.

Na carta, Bolsonaro afirma que “o perdão é algo pessoal” e ainda diz que qualquer outra interpretação do que disse “só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus.”

Confira o texto:

“Ao povo de Israel: deixei escrito no livro de visitantes do Memorial do Holocausto em Jerusalém: ‘AQUELE QUE ESQUECE SEU PASSADO ESTÁ CONDENADO A NÃO TER FUTURO’.

Portanto, qualquer outra interpretação só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus. Já o perdão, é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto, onde milhões de inocentes foram mortos num cruel genocídio.”


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Estudante, músico e defensor da liberdade.

Publicidade
12 Comentários

12 Comments

  1. Pingback: “O perdão é algo pessoal”, diz Bolsonaro em carta aos Israelenses após declaração sobre holocausto – Conexão Política – Clazoom

  2. Pingback: “O perdão é algo pessoal”, diz Bolsonaro em carta aos Israelenses após declaração sobre holocausto – Conexão Política – FamilyDeals

  3. MARIA HELENA CAVALCANTI DE FRANÇA

    14.04.2019 at 14:37

    Eu entendi o perdão do nosso Presidente, ele falou como um Cristão, porque o perdão é Bíblico, Jesus quer que a gente dê o perdão. Creio que ele falou do fundo do coração como um Cristão.

    • Pedro Rocha

      14.04.2019 at 23:45

      A questão é que os judeus não são Cristãos e o tal “Bibi” já fez questão de repudiar a fala de Bolsonaro, sem o citar diretamente.

      O Governo israelense nunca vai perdoar o povo alemão, pois estes pagam indenização de guerra até hoje!

      Que isso sirva para lembrar a todos, principalmente esses falsos cristãos que bajulam o judaísmo, que o sionismo é uma doutrina racista e imperialista, além de serem aliados de longa data dos marxistas, que para ratificar essa aliança compartilham a estrela vermelha como símbolo das duas ideologias.

      • Fabio

        15.04.2019 at 03:44

        Poucas vezes li tamanha mesquinhez, cinismo e maledicência. Quer dizer 1) tudo se resume a dinheiro?! 2) Quer ensinar como ser cristão pecando várias vezes em poucas linhas?! 3) que eles são racistas e imperialistas!? etc. Acho que teu site preferido é o 247…

        • Lico

          15.04.2019 at 11:45

          Por que você 3(Fábio, Pedro Rocha e Maria Helena), não vão a alguma biblioteca estudar o assunto, antes de postar essas coisas sem lógica, na Internet ?
          O Pedro Rocha começou bem a crítica à Maria Helena, para logo em seguida escorregar feio incluindo marxistas e estrela vermelha.
          Depois, o Fábio que também começou bem, erra feio na conclusão do raciocínio, ao dizer que o Pedro Rocha teria preferência pelo site 247.
          Vocês poderiam fazer um curso básico de lógica, por favor ?

          • Pedro Rocha

            15.04.2019 at 18:00

            Já li bastante sobre o tema.

            Recomendo “O Judeu Internacional” de Henry Ford, escrito em 1920 mas com uma assertividade aterradora sobre a união entre sionismo, banqueiros internacionais e marxistas.

            Não concordo com tudo que está nesse livro, mas é uma leitura imprescindível para entender o século XX e seus desdobramentos.

        • Pedro Rocha

          15.04.2019 at 17:57

          Não. Eu é que peguei leve sobre os sionistas para não entrar em maiores detalhes que feririam as consciências neoconservadoras.

          Quer saber mais sobre o Sionismo? Leia “O Judeu Internacional”, de Henry Ford. Não concordo com tudo que tem nesse livro, mas é uma obra bastante detalhada sobre como sionistas e marxistas são aliados de longa data.

          Passar bem e cuidados com os pecados contra o 8º Mandamento ao julgar os outros.

    • 4queijos

      15.04.2019 at 09:40

      Votei em Jair Bolsonaro, mas acho que nenhum vagabundo que comete crimes graves como o Holocausto merece perdão… isso é dar abertura para perdoar estupradores e assassinos.

    • Edelcio Sereno

      15.04.2019 at 13:22

      cacete, um cara que defende armamento. tortura e até assassinato em nome da “pátria” falar perdão é sacrilégio

      • Pedro Rocha

        16.04.2019 at 13:41

        Favor escrever em português, pois não ficou claro que você estava falando de Lamarca, Marighella ou algum outro terrorista.

    • Franklin Abreu

      21.04.2019 at 06:17

      Fruto da sua ignorância histórico política, de tão profunda, Bolsonaro deu um tiro de canhão no pé, aquando da sua viagem à Israel. Estava rodeado de imbecis conselheiros tais como o Ministro das Relações Exteriores, acho que assim é que se chama no Brasil, e pelo “filósofo ‘” Olavo, este à distância. Esperam se mais tiros no pé.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites