Redes Sociais

Brasil

Iguaçu recebeu quase 40% a mais de turistas após a isenção de vistos para americanos, canadenses, australianos e japoneses

Thaís Garcia

Publicado

em

Iguaçu recebeu quase 40% a mais de turistas após a isenção de vistos para americanos, canadenses, australianos e japoneses 19
Imagem: Clickfoz

Após o presidente Jair Bolsonaro dispensar vistos para americanos, canadenses, australianos e japoneses, o Parque Nacional do Iguaçu recebeu quase 40% a mais de turistas dos quatro países.

“Turismo gerando resultado!”, celebrou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio no Twitter.

De acordo com o ministro, de 17 de junho de 2019, data que entrou em vigor a isenção de vistos, até 28 de julho, o parque registrou um aumento de 91% de canadenses, 70% de americanos e 8% de australianos. Apenas o Japão apresentou redução em relação ao mesmo período de 2018.

As Cataratas do Iguaçu
O Parque Nacional do Iguaçu é sem dúvida uma das atrações mais espetaculares do Brasil. Nada menos que 275 cachoeiras se concentram em uma área de 2,7 quilômetros para formar a poderosa ‘Foz do Iguaçu’. No coração você pode ouvir, ver e sentir a “Garganta do Diabo”, onde 14 diferentes cachoeiras se juntam de uma forma incrível.

Os visitantes podem desfrutar deste espetáculo de várias maneiras: através de várias passarelas que os aproximam muito das cataratas, de barco ou, pela experiência mais emocionante, de helicóptero.

Em Iguaçu também está a tríplice fronteiras, onde Argentina, Paraguai e Brasil se encontram. Os parques nacionais transfronteiriços de Foz do Iguaçu foram criados para proteger o valioso ecossistema. Os parques formam uma imensa floresta tropical com mais de 400 espécies de aves, dezenas de espécies de mamíferos, répteis e mais de 2.000 espécies de plantas.

As quedas podem ser visitadas durante todo o ano, mas a melhor época para admirá-las é entre dezembro e fevereiro, devido ao enorme volume de água e baixa pluviosidade.


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Correspondente Internacional na Europa. Cristã, casada, mãe e bacharel em Relações Internacionais.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites