Redes Sociais

Economia

Carga tributária: veja os valores dos carros sem os altos impostos brasileiros

Raul Holderf Nascimento

Publicado

em

Divulgação | JEEP

A carga tributária brasileira continua sendo um dos principais motivos de insatisfação entre a população. Levantamentos realizados nos últimos anos apontam que essa questão é o principal entrave para a evolução de pequenos e médios negócios no Brasil.

Especialistas dizem que a redução ajudaria, por exemplo, a melhorar o ambiente de negócios, restaurar a produtividade e ampliar o potencial de crescimento.

Numa avaliação de empreendedores dos setores de comércio, indústria e serviços consta no levantamento realizado pelo Centro de Estudos em Negócios do Insper, com apoio do Santander, 47,7% dos empresários disseram que os impostos são o maior empecilho para o avanço de negócios.

O equilíbrio fiscal, a redução da carga tributária e da burocracia são os principais caminhos para a indústria brasileira crescer de forma sustentável nos próximos anos, aponta Douglas Santos de Holanda Júnior, estudante de Economia da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Segundo ele, o sistema tributário brasileiro exige uma necessidade urgente de reforma do modelo de taxação no país.

“Os brasileiros pagam altas alíquotas de impostos, tanto o imposto de renda de pessoas físicas e jurídicas, assim como também os impostos sobre bens e serviços”, frisa o acadêmico.

Na visão de Douglas, ‘alargar a base’ tributária é uma das alternativas viáveis. “É possível cobrar menos impostos da população e manter a arrecadação no mesmo nível”, acrescenta.

[Os altos impostos brasileiros sobre automóveis]

Um levantamento da consultoria BDO, divulgado pela CNN Brasil neste domingo (14), reforça a necessidade de uma reforma tributária ainda mais ampla no país. Nesta sondagem, os dados mostram o quanto de impostos os brasileiros estão pagando ao adquirirem um automóvel 0 km.

Segundo os números, quem estiver disposto a comprar um carro com motor de até 1 litro (1.0) deve pagar cerca de 36,53% do valor final somente de impostos. Nos automóveis 2.0, o valor pode chegar 43,13% do valor final.

O levantamento da BDO foi realizado no início de 2021, período anterior ao anúncio do governo de São Paulo, que aumentou o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) na venda de veículos no Estado.

Confira abaixo quanto custariam alguns dos veículos mais vendidos do Brasil sem os tributos cobrados pelo Estado:

Chevrolet Onix
Preço atual da versão básica: R$ 61.090
Valor sem impostos: R$ 38.773

Chevrolet Onix Plus
Preço atual da versão básica: R$ 66.520
Valor sem impostos: R$ 42.220

Jeep Renegade
Preço atual da versão básica: R$ 83.990
Valor sem impostos: R$ 47.765

Volkswagen Gol
Preço atual da versão básica: R$ 56.190
Valor sem impostos: R$ 35.663

Volkswagen T-Cross
Preço atual da versão básica: R$ 99.070
Valor sem impostos: R$ 62.879

Jeep Compass
Preço atual da versão básica: R$ 133.990
Valor sem impostos: R$ 75.858

Fiat Argo
Preço atual da versão básica: R$ 56.590
Valor sem impostos: R$ 35.917

Fiat Mobi
Preço atual da versão básica: R$ 40.990
Valor sem impostos: R$ 26.016

Chevrolet Tracker
Preço atual da versão básica: R$ 92.850
Valor sem impostos: R$ 58.931

Hyundai Creta
Preço atual da versão básica: R$ 78.990
Valor sem impostos: R$ 44.921

Renault Kwid
Preço atual da versão básica: R$ 39.390
Valor sem impostos: R$ 25.000

Volkswagen Nivus
Preço atual da versão básica: R$ 92.440
Valor sem impostos: R$ 58.671

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.