Redes Sociais

Brasil

Aras diz que divulgação na íntegra de reunião ministerial criaria ‘arsenal político’ para 2022

PGR defendeu que apenas trechos do sigilo da conversa sejam divulgados.

Redação

Publicado

em

Marcelo Camargo | Agência Brasil

O procurador-geral da República, Augusto Aras, defendeu que sejam divulgados apenas trechos do vídeo de reunião ministerial do dia 22 de abril.

Para ele, a divulgação completa da gravação serviria de “arsenal de uso político, pré-eleitoral (2022), de instabilidade pública”.

Segundo Aras, “notadamente as que tratam da atuação da Polícia Federal, da ‘segurança’, do Ministério da Justiça, da Agência Brasileira de Inteligência e da alegada falta de informações de inteligência das agências públicas”.

Conforme registrou o Conexão Política, o relator do inquérito, Celso de Mello, havia solicitado na terça-feira (12) uma manifestação das partes sobre a divulgação, total ou parcial, do vídeo.

Aras expressou receio com a possibilidade do conteúdo ser manuseado como “pretexto para investigações genéricas sobre pessoas, falas, opiniões e modos de expressão totalmente diversas do objeto das investigações”.

De acordo com ele, “eventual divulgação das transcrições, ainda que involuntária, por esses motivos, pode acirrar desnecessariamente a disputa de versões entre os investigados, contribuindo para a politização da investigação, afastando dela o perfil exclusivamente técnico”.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Conexão Política é um jornal digital inteiramente compromissado com a cobertura e análise das principais pautas sobre política nacional e internacional | [email protected]

alan correa criação de sites