Redes Sociais

Brasil

Após 14 anos de disputa, STF decide que Mato Grosso do Sul tem direito ao ICMS de gás importado da Bolívia

Marcos Rocha

Publicado

em

Capital de MS, Campo Grande | Créditos: Fly Drone MS

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira (22) que o Mato Grosso do Sul tem direito exclusivo de receber as receitas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pela importação de gás da Bolívia.

Por 5 votos a 4, a maioria dos ministros entendeu que o estado localizado no Centro-Oeste tem direito a receber 100% do ICMS incidente sobre a importação pelo fato de o produto ser nacionalizado pela Petrobras em uma estação localizada em Corumbá/MS.

Em caso de derrota, o governo do Mato Grosso do Sul estimava a perda de aproximadamente R$ 1 bilhão em arrecadação.

A disputa judicial estava em andamento há 14 anos na Corte e envolve uma guerra fiscal entre São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Além do Paraná, os estados também são abastecidos pelo gasoduto Bolívia-Brasil.

Nas ações que foram julgadas, os estados argumentam que, após ser recebido em Corumbá, o gás percorre a parte brasileira do gasoduto e é vendido às companhias estaduais. Sendo assim, as outras unidades da federação também devem receber parte do ICMS.

Na quarta-feira (21), durante a primeira parte do julgamento, a Corte ouviu as manifestações dos procuradores dos estados.

Desde 2007, somente o Mato Grosso do Sul recebe as receitas da importação do gás boliviano devido liminar concedida pelo então ministro Celso de Mello, que reconheceu a exclusividade do estado no recebimento.

Na parte brasileira, o gasoduto atravessa 136 municípios localizados no Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

As informações são da Agência Brasil.

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

Editor-chefe do Conexão Política; residente e natural de Campo Grande/MS | FALE COMIGO: [email protected]

alan correa criação de sites