Redes Sociais

Brasil

Ao abrir julgamento de assassino, juiz faz manifesto contra posse de armas

Marcos Rocha

Publicado

em

Ao abrir julgamento de assassino, juiz faz manifesto contra posse de armas 20
Saul Schramm | Campo Grande News

Na manhã desta quinta-feira (31), antes de presidir mais um julgamento na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Campo Grande – Mato Grosso do Sul, o juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida se manifestou contra o decreto que facilita a posse de armas, assinado no dia 15 pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Para o magistrado que atua há mais de dez anos em casos de homicídio, a flexibilização do armamento é um deflagrador de violência.

“Todos que lidam na área criminal têm essa mesma opinião. Principalmente para quem mexe com a vara de violência doméstica e crimes como feminicídio. Essas armas estatisticamente não serão usadas contra bandidos”.

De acordo com Garcete, a ideia da população é contrária a dele, pois há um clamor pelo armamento.

“As pessoas precisam lutar por segurança de qualidade.Tem gente que compra arma, faz curso de uma hora e depois não sabe nem segurar o revólver. Só no ano passado passaram pela 1ª vara do Tribunal do Júri 137 réus por delitos relacionados a arma de fogo e arma branca”.

Adaptado. Com informações de Campo Grande News.

 

Ajude-nos a mantermos um jornalismo LIVRE, sem amarras e sem dinheiro público. APOIAR »

CONTATO: [email protected] | Editor-chefe do Conexão Política, residente e natural de Campo Grande/MS, assistente de gabinete junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS) e estudante de Ciências Jurídicas.

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites