Um preso, duas mulheres e a justiça: o direito de transar

Autor: 2 Comentários Compartilhar:
Imagem: Divulgação/Conexão Política

No Distrito Federal, um preso, através de sua defesa, solicitou para a justiça o direito de receber visitas íntimas de duas mulheres, uma classificada como esposa e a outra como namorada. 

A justiça a princípio negou o pedido, e a defesa alegou que não cabe á justiça interferir na vida do preso. 

Meu Deus do céu, o poste está mijando no cachorro? Primeiro que nenhuma dessas mulheres parece ter vergonha na cara, e segundo que é muita cara de pau – não só do preso mas da defesa pleitear uma aberração dessas.

Vai transar com o João pé de mesa, ou sei lá quem… e para de encher o saco da justiça que já não aguenta resolver problemas muito mais graves do que preso querer transar com duas mulheres.

Post anterior

Nova pesquisa Datafolha será divulgada neste domingo

Próximo post

As urnas eletrônicas podem ser fraudadas? Veja o que dizem os especialistas

Você pode gostar também:

2 Comentários

  1. Enquanto tivermos leis e juízes de merda. Será assim. Gilmar Mendes. Alexandre. Lewandowiskey. Marco Aurélio e o Comédia do Toffoli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.