Redes Sociais

Análise

Para de ser fresco, jornalista safado!

Publicado

em

Foto: Pixabay

A imprensa mainstream tornou-se um covil de mimados, de frouxos, de gente de uma potência moral vergonhosa e de virilidade nula. O grande Nélson Rodrigues, que escreveu um artigo intitulado O ex-covarde, teria vergonha de sua categoria hoje em dia, muito mais do que tinha em seus tempos.

Se você discorda do texto de um jornalista, eles se unem como pueris valentões medrosos de colegial para dizerem que sofreram um ataque. Se você os acusa de canalhice em suas redes sociais eles deixam as contas privadas, bloqueiam, e até deletam o próprio perfil. Se você pega no pé de um desses molengas, te colocam em uma lista de “agressores de jornalistas” — Como fizeram com o Leandro Ruschel. Quanta frescura, quanta histeria…

Por muito tempo jornalistas viveram numa bolha hegemônica, de pensamento único. As mídias sociais quebraram o monopólio da informação, e dos formadores de opinião. A classe jornalística usa agora de meios imorais e contrários à própria profissão para retornarem ao patamar anterior: a censura, que eufemisticamente é chamada de “checagem”, de “discurso de ódio”, ou para os mais chiquinhos: fact checking. 

Anos a fio sob o chicote de professores progressistas que censuravam suas opiniões “reacionárias”… dias e dias sob os olhares vermelhos dos editores chefes a pautarem suas opiniões por interesses ideológicos… décadas sob a patrulha de debiloides amantes do Che e Fidel… longo período de barganha por parte de governo petista pagando para saírem bem na fita… sei que não é fácil, com tanta pressão, não ser um completo idiota sem voz própria. Acabaram todos, paradoxalmente, como o personagem do poema comunista No caminho com Maiakóvski: “conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada”.

Felizmente tivemos e temos alguns poucos jornalistas independentes, que mesmo sob pressão extrema da hegemonia fizeram um ótimo trabalho, e como que se estivessem obedecendo cada palavra de A Constância do Sábio, de Sêneca, mantiveram-se firmes e imponentes perante tanta canalhice. “[…] hoje, é muito difícil não ser canalha”, dizia o Nélson já em seu tempo. 

Quiça, numa de suas sacadas aforísticas, ele corrigisse a própria máxima e soltasse: hoje, é quase impossível não ser canalha. Meu recado àqueles jornalistas que sentiram-se ofendidos com meu breve desabafo segue: Parem de frescura, jornalistas safados!


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Cristão, conservador — o termo usado por idiotas é extrema direita: pró-vida, pró-família, pró-armas —, pedagogo, escritor e poeta. Vivo de poesia pra não morrer de razão. — www.andersonsandes.net

Publicidade
10 Comentários

10 Comments

  1. charles

    13.03.2019 at 19:30

    … “FACT CHECKING” É TIPO UMA CRIANÇA MIMADA QUE DÁ A ÚLTIMA PALAVRA E NÃO DEIXA ESPAÇO PRA NINGUÉM MAIS COMENTAR NEM DISCORDAR … TIPO: “A RAZÃO É MINHA, EU SOU DONO DA VERDADE E CALEM-SE TODOS” .. A MERA EXISTÊNCIA DE UMA IDIOTICE DESSA JÁ VAI CONTRA O PRÓPRIO PRINCÍPIO DA EXISTÊNCIA DA INTERNET.. POR ISSO NINGUÉM DÁ BOLA PRA ESSES “DONOS DA RAZÃO” … CHECADORES IDIOTAS>> NINGUÉM É SEU SEGUIDOR, NINGUÉM QUER TE OUVIR, NINGUÉM SE IMPORTA…

  2. Antonio Henrique

    13.03.2019 at 02:24

    Talvez Nelson dissesse:
    “Sou um ex-covarde, mas já não sou o único.”

  3. João

    12.03.2019 at 21:46

    Por trás desta “redoma” de auto-proteção psedo-jornalistica se esconde o fato das redações da grande mídia terem se tornado extensões de DCEs esquerdistas, de mentalidade revolucionária e subverviva.

  4. Laércio Cruz

    12.03.2019 at 15:28

    Parafraseando Nelson Rodrigues, Os idiotas da objetividade só veem a bola, as bolas do chefe!

  5. Thiago Costa Cardoso

    12.03.2019 at 10:56

    Perfeito.

  6. Natan

    12.03.2019 at 09:35

    O corporativismo é uma espécie de força maior para a grande maioria da classe de jornalistas. Isso é tão prejudicial que eles constroem uma redoma, que na visão deles, pode protegê-los de qualquer tipo de crítica, sob a falsa alegação de que estão fazendo o papel da imprensa, que é “informar”, e que todo aquele que questiona esse papel é uma espécie de obstrutor da manutenção do “Estado Democrático de Direito”. O que me deixa mais tranquilo é saber que a grande mídia, a cada dia que passa, só se degrada a um ponto de estar caminhando para sua autodestruição. Não conseguiram barrar o Trump de se eleger, não conseguiram barrar o Bolsonaro e não irão conseguir mais nada daqui pra frente. O povo de bem, aqueles que realmente querem o melhor para o Brasil, sabe o lado certo da história.

    • Victoria

      12.03.2019 at 09:54

      Concordo. Como os jornalistas da grande mídia podem ser tão sem caráter a ponta de defender o indefensável? O Estadão e a própria Constança assumiram que os áudios são dela e basta escutar os áudios para verificar que Bolsonaro publicou True News. O terça livre publicou true news! A grande mídia é tão descarada que usa agência Lupa (financiada pelo esquerdista George Soros) para verificar Fake News? Piada, né. Depois usam o verificador a grande mídia de esquerda e produtora de Fake News (o grupo uol)? E para piorar, acabar de vez que dignidade do veiculo de comunicação o Estadão teve a cara de pau de verificar os fatos pelo verificador do Estadão! Ninguém da grande tive teve coragem de fazer o básico que o Terça Livre fez: disponibilizou os áudios originais. Como eu sei que são originais? Pq fui no site francês e baixei de lá e comparei com os disponibilizados pelo Terça Livre.

    • Isabel Machado

      12.03.2019 at 11:26

      Uau! Que resposta! Natan, vc escreveu tudo o que eu gostaria. Eu sou jornalista e fico abismada com o que está acontecendo. Parabéns!

  7. Wallace Emerich Garcia

    12.03.2019 at 08:47

    Acho que o autor não vai se importar se eu compartilhar esse brilhante texto para que sirva de indireta para alguns.

  8. Josy Sil (@JosySil30)

    12.03.2019 at 05:12

    Que texto! Parabéns!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites