Redes Sociais

Opinião

COLUNA: Duplicidade do prefeito Firmino Filho e a situação em Teresina

Carlos Júnior

Publicado

em

Kelvyn Coutinho/Viagora

Os donos do poder venderam-nos a ideia estapafúrdia do isolamento horizontal como bala de prata contra o coronavírus. Fecharam empresas, escolas, ruas e até mesmo clínicas de saúde. Destruíram empregos, colocaram inúmeras famílias na pobreza e foram responsáveis por cenas absurdas que jamais esqueceremos. Tudo em nome da (pseudo)ciência. Os que ousaram divergir do consenso sacrossanto foram censurados com as desculpas mais cínicas possíveis – caso do médico e deputado Osmar Terra (MDB-RS). É um inferno do qual ainda não saímos e do qual não sairemos tão cedo, já que a nação causadora de tudo isso dá todos os indícios de querer pregar mais peças em todos nós.

Prefeitos e governadores usaram e abusaram dos seus poderes para impor este isolamento. A nossa República das Bananas – assim é desde o começo – transformou o presidente em mero posto decorativo, uma vez dado quase todo o poder de ação contra a pandemia às esferas menores do Executivo. Foi um prato cheio para tipos como o sr. João Doria e o sr. Wilson Witzel mostrarem valentia contra o povo diante dos holofotes. E como eles gostam de um! O que teve de gestor incompetente e semianalfabeto posando de iluminado respeitador da ciência não está escrito.

Entretanto, quero me ater ao prefeito da minha amada cidade. Firmino Filho (PSDB-PI) fez jus à pompa elitista do seu partido e não foi apenas o Doria teresinense: conseguiu superar o governador Wellington Dias (PT-PI) em incompetência e burrice. Isso se apenas as duas coisas justificarem a sua postura megalomaníaca em defesa da ‘’quareterna’’.

O sr. Firmino protagonizou inúmeras bizarrices durante essa pandemia. Ficou conhecido como o “prefeito tranca rua” por repetir a insanidade seu colega de partido paulistano, o também prefeito Bruno Covas, de bloquear ruas e – pasmem! – provocar congestionamentos e aglomerações. Aderiu a narrativa do isolamento como solução única e destruiu empregos em uma capital historicamente pobre e atrasada. Tudo com o mantra da ciência.

Pois bem, esse mesmo prefeito que fechou tudo agora participa de aglomerações para eleger seu candidato a prefeito, o também tucano Kleber Montezuma. Correm soltos os registros de fotos do sr. Firmino com a militância tucana aglomerada em eventos políticos. Logo ele que quis posar como herói de gibi contra o obscurantismo daqueles que queriam apenas trabalhar para ter o que comer e sustentar suas famílias. Se você trabalha ou anda pela rua sem máscara, você é um irresponsável a disseminar o coronavírus. Mas se você participar da campanha do sr. Montezuma em meio a uma aglomeração, nenhum problema. Firmino Filho e sua trupe não colocarão a Guarda Municipal para lhe multar.

E sabem o melhor? Ao ser questionado sobre os eventos políticos e um possível aumento na disseminação do coronavírus, Firmino respondeu dizendo que tanto os eventos quanto a reabertura econômica não tiveram impacto negativo na pandemia. Ou seja: o teresinense que ficou em casa e perdeu seu emprego foi feito de trouxa. Inúmeros cientistas alertaram contra a burrice do isolamento e a sua inutilidade contra o coronavírus. Inconscientemente o sr. Firmino deu razão a eles. Depois de seis meses de quarentena e inúmeras consequências negativas.

Este prefeito é o mesmo que quis colocar toda sorte de dificuldades ao funcionamento da Uber com impostos e regulamentações para agradar ao lobby dos taxistas. Muito coerente da sua parte. Se ele bloqueou ruas no Centro da cidade, por que não expulsar empresas que ele não quer que funcionem em Teresina?

O sr. Firmino é uma piada de péssimo gosto. Ainda que administre uma cidade dominada pela velha política e pelo eleitorado que se vende com a maior facilidade, há quem não irá esquecer suas ações e – principalmente – sua duplicidade durante esta pandemia. Eu serei um deles.

***

A eleição em Teresina apresenta três forças bem definidas. De um lado, está o candidato da situação, Kleber Montezuma (PSDB). Do outro, estão três candidatos que estão do lado do governador do Piauí: Dr. Pessoa (MDB), Fábio Abreu (PL) e Fábio Novo (PT). Por último está o candidato mais alinhado ao presidente Bolsonaro, Major Diego Melo (PATRIOTA).

Os quatro primeiros representam o establishment político que domina a política piauiense há décadas e faz do Piauí um estado do século XIX em pleno século XXI. Todos eles são de esquerda, sendo que dois deles flertaram com a extrema esquerda em suas carreiras políticas. Teresina continuará uma cidade sem perspectiva alguma se alguém desse grupo for eleito.

Major Diego Melo é o único candidato alinhado ao presidente Bolsonaro, e sua plataforma política representa uma mudança gigantesca para a cidade. Administrada pelo PSDB desde 1992, Teresina é politicamente dominada pela esquerda frakfurtiana chique, e os resultados são visíveis: uma economia capenga, criminalidade em alta, educação com resultados enganosos e uma perspectiva sombria para os próximos anos. Essa é a situação de Teresina.


Referências:

1.https://www.youtube.com/watch?v=i6AjxlD-uyo&t=606s

2.https://www.oitomeia.com.br/colunas/nataniellima/2020/09/10/atividades-de-pre-campanha-nao-provocaram-proliferacao-do-virus-em-the-diz-firmino-sobre-eventos-politicos/

3.https://www.portalr10.com/noticia/17181/firmino-filho-eu-nao-gosto-dessa-empresa-uber

Jornalista. Escreve sobre politica brasileira e americana, com análises não vistas na grande mídia.

alan correa criação de sites