Redes Sociais

Artigo

O quinto poder

Nando Castro

Publicado

em

Divulgação | Redes sociais

Promulgada em 1988, a Constituição Federal do Brasil traz em seu segundo artigo a divisão e harmonia dos poderes da República no Estado brasileiro que consiste em Executivo, Legislativo e Judiciário. Devido ao seu grande alcance de público e por ser o eixo interligador de todas as classes pelos meios difusores utilizados, tais como rádio, TV, revistas, jornais e em especial a internet, a mídia constitui-se como “dona” do popularmente chamado “quarto poder da República”.

Vereador do Rio de Janeiro desde 2001, Carlos Bolsonaro, filho do atual presidente da República, é conhecido como o “pit-bull” da família, em virtude do seu temperamento em defesa do pai. Durante a campanha presidencial do pleito eleitoral de 2018, coube a Carlos o gerenciamento das redes sociais do então candidato Jair Bolsonaro.

Por ter contato direto com o agora presidente, Carlos decidiu tornar público via Twitter a informação em torno de um suposto desentendimento do seu pai com o secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebbiano, expondo publicamente uma “crise” no governo que poderia ser facilmente debelada, seja por meio do diálogo ou exoneração do referido ministro.

A frase “cada macaco no seu galho” nunca teve tanto sentido como agora. Uma vez que a campanha já foi encerrada, Carlos poderia voltar ao seu lugar de origem e arcar com suas responsabilidades enquanto parlamentar – não que ele tenha deixado de fazer isto – porém, sua interferência nos assuntos ligados à Presidência sem o devido cuidado pode gerar um desgaste desnecessário, principalmente pelo fato do governo encontrar-se no “momento de ouro” que são os 100 primeiros dias de mandato.

Não que as intenções de Carlos sejam más, pelo contrário, todavia, centralizar a organização comunicativa do governo para saber o que será ou não veiculado nas redes sociais e imprensa, é condição fundamental para que o conjunto de informações seja divulgada de forma fluída e não-danosa para a Presidência e demais ministros de Estado.

Problemas são comuns e surgem a todo momento, principalmente num mandato considerado conturbado pela grande mídia. Contudo, ao não ter resguardo com determinadas informações veiculadas nas redes sociais, os obstáculos podem ser ainda maiores e, em determinados casos, serem fontes de prejuízos potencialmente irreversíveis para o governo.

A inovadora estratégia de comunicação do presidente e demais ministros de falarem diretamente na internet por meio das redes sociais é admirável e bem-vinda, pois é uma forma de aproximar-se dos seus eleitores e compreender de maneira mais coesa os reclames da população, como também pode servir de ponte para examinar a aderência ou rejeição do povo sobre determinadas propostas.

É necessário verificar, entretanto, o fato do diálogo de forma direta não anular a necessidade da cautela em torno da comunicação presidencial, pois se não houver o devido cuidado com as informações veiculadas, o governo tende a permitir que os integrantes do mau jornalismo venham a constituir um quinto poder da República, caracterizado pela transformação de pessoas próximas ao presidente como fontes supremas de dados sensíveis do governo e as utilizando como pontos de partidas para a geração de notícias sobre supostas crises entre o governo e os seus integrantes, a exemplo do caso Carlos x Bebbiano.

Se tal poder for conferido desta forma, o potencial de problemas aumentará exponencialmente. Auxiliar na geração de obstáculos no caminho do mandato não parece ser o objetivo do governo e muito menos dos seus ministros. 

Analista político, atuante no jornalismo desde 2015 e palestrante.

Publicidade
12 Comentários

12 Comments

  1. Avatar

    Soldier Dias

    15.02.2019 at 18:14

    Não tem uma informação ou uma fagulha de notícia neste artigo que parece mais um desabafo de alguém com dos pés esquerdos e duas mãos canhotas do que ambidestros.

  2. Avatar

    Soldier Dias

    15.02.2019 at 18:12

    Não tem uma informação ou uma fagulha de notícia neste artigo que parece mais um desabafo de alguém com dois pés esquerdos e duas mãos canhotas do que ambidestros. Não há assunto para comentar.

  3. Avatar

    Natan Monteiro

    15.02.2019 at 17:41

    O Carlos agiu corretamente em ter desmascarado a mentira de Bebbiano. Ele sabe como o jogo funciona, ele realiza, de modo formidável, a leitura das situações que podem afetar o presidente, e logo as aniquila. Vejam na campanha presidencial, o Carlos que cuidava das mídias sociais do pai, e eu me impressionava com a velocidade que o mesmo rebatia uma enxurrada de fake news e desmantelava ataques por parte da esquerda & grande mídia (redundante, rs). No entanto, penso que, para o momento, após o caso Bebbiano, é a hora de realizar uma reunião a portas fechadas com um único objetivo: solidificar a unidade governamental. Não podemos perder a onda que nos levará a reformar a previdência. O povo brasileiro já entendeu que isso é uma condição sine qua non (um abraço, prof. Villa, rs) para sairmos de uma vez por todas do buraco. A maré e os ventos estão favoráveis. Este é o congresso, na história do Brasil, mais adequado para aprovação de matérias importantíssimas. Se o governo souber usar tudo isso, aprova tudo que quiser AINDA ESTE ANO. Então, amigos, o jogo é esse, pura estratégia. Acredito que também temos responsabilidade nessa guerra, pois devemos continuar perseverantes, dia após dia, com o intuito de informar, esclarecer e ajudar o maior número de pessoas possível a enxergar a farsa que é a grande mídia e sua espetacular habilidade na construção de narrativas mentirosas. Forte abraço! Brasil acima de tudo, Deus acima de todos!

  4. Avatar

    Deisson Diedrich

    15.02.2019 at 17:26

    Carlos acertou e ainda ganhou um brinde para o Flávio: ninguém mais fala do Queiroz.

  5. Avatar

    Deisson Diedrich

    15.02.2019 at 17:25

    Carlos acertou. E ainda ganhou um extra: ninguém mais fala do Queiroz.

  6. Avatar

    Wallace Emerich Garcia

    15.02.2019 at 14:12

    Se Bebiano não tivesse sido desmascarado na questão da suposta candidatura-laranja que ele, Bebiano, e Bivar (ou sabem-se lá quem mais) arrumaram nas vésperas da eleição, para aparentemente desviar R$ 400.000,00, hoje o problema estaria grudado no Presidente da República, e certamente existiria de fato uma crise grave no Governo.

    A mídia inteira a partir de agora estaria começando a falar de “crime eleitoral” pelo Presidente, de desvio de dinheiro de campanha (nos moldes de PC Farias/Collor), e a arapuca estaria montada para inviabilizar o governo.

    Era de fato um plano maquiavélico.

    Mas Carlos Bolsonaro desmontou a trama. Ao ter capacidade de perceber o perigo que se armava no horizonte para o governo do pai, desmentiu praticamente EM TEMPO REAL a notícia veiculada na mídia tradicional (e replicada instanteamente pelo prestigiado site ‘O Antagonista’) da (inexistente) conversa de Bebiano com Bolsonaro para tratar do assunto da “candidatura-laranja”.

    E além de desmentir Bebiano e a mídia, Carlos Bolsonaro ainda divulgou o áudio do pai para provar que não houve qualquer conversa com Bebiano, deixando claro que o problema não seria assunto do Governo e da Presidência da República.

    Carlos Bolsonaro, com essa atitude, gerou ódio dos muitos que esperam de fato um enfraquecimento do Governo Bolsonaro, com o aparecimento de crises e o surgimento de motivos para se tentar derrubar o presidente.

    E, incrivelmente, hoje a mídia “mainstream”, incluindo-se o próprio ‘O Antagonista’, passou o dia I N T E I R O defendendo a permanência de Bebbiano no governo e condenando a atitude de Carlos Bolsonaro.

    Com efeito, se ela tivesse bom-senso deveria ter feito justamente o inverso: teria apoiado o afastamento de Bebiano e aplaudido a atitude de um Presidente que, ao menor sinal de algo errado por parte de alguém de sua equipe, o isola do Goveno e o demite (o que tudo leva a crer que será feito).

    Mas não. A cegueira ideológica dela, mídia “mainstream”, é tão grande, e a raiva que sente pelo fato de a arapuca ter sido desarmada é tão insuportável, que sequer percebe o vexame que passa ao ser tão contraditória.

    Assim como o Rei, na fábula, a mídia também ficou nua: passou os anos petistas dizendo arrogantemente, de forma pernóstica, que ministros não podiam ser protegidos, que tinham que ser demitidos ao sinal de “malfeitos”, e agora, justamente quando Bolsonaro age como ela, mídia, sempre disse que se tinha que agir, passa a ser contra a medida do Presidente, passa a defender a permanência do malfeitor no governo.

    Carlos Bolsonaro, com uma tuitada e um post no facebook, de uma só vez blindou o pai no episódio da “candidatura-laranja” e desmascarou tanto a hipocrisia da mídia “mainstream” quanto o seu espírito golpista de querer fabricar crises.

    O “02”, ou o “pit-bull”, mostra que tem de fato uma mente preparada para lutar a guerra cultural.

    Está apenas começando. Tem muita limpeza a ser feita ainda. Até o final do governo, muito jornalista vai entrar em colapso nervoso.

    Texto original de Guillermo Federico Piacesi Ramos em 14/02/2019

    • Avatar

      Madel Rosa

      16.02.2019 at 12:28

      Parabéns pelo comentário. Concordo integralmente. Chega a doer ver O Antagonista e Os Pingos nos Is embarcarem na pecha de crise criada por Carlos. Hoje, sabemos que Carlos Bolsonaro agiu em concordância com o Presidente, que, por acaso, é seu pai.

  7. Avatar

    André

    15.02.2019 at 13:46

    Você está errado neste caso. Carlos agiu certo e rápido. Seu lugar é mesmo junto do pai nos momentos de tensão e perigo, como foi o caso da cirurgia.

  8. Avatar

    VAULDIR COSTA ANUNCIATO

    15.02.2019 at 13:38

    A GESTÃO BOLSONARO NÃO É CONTINUAÇÃO DOS ANTIGOS GOVERNOS – A REDE SOCIAL COLOCOU ELE E A FAMÍLIA DELE LÁ – CARLOS NÃO VEICULOU DADOS SENSÍVEIS DE MILITARES E TECNOLÓGICOS OU DE SOBERANIA NACIONAL..E ELE SABE MAIS DO PAI DELE DO QUE TODA A POPULAÇÃO IMAGINA QUE SABE ..ELE CARLOS É POLÍTICO TAMBÉM..E ATÉ ONTEM JAIR BOLSONARO ERA DO MESMO ESTILO DO CARLOS OU PIOR OU NÃO???..E NÃO FOI FOFOCA E INTRIGA CONTRA BEBIANO – DESDE A TRANSIÇÃO QUE CARLOS AVISA DE PESSOAS INIMIGAS BEM PERTO DO PRESIDENTE.O CASO QUEIROZ DEU NO QUE DEU..E O FLAVIO ESTÁ DEMORANDO PARA SE EXPLICAR MELHOR E O QUEIROZ TAMBÉM..A MÍDIA MATRIX ELA SANGRA…SE SAI NA MÍDIA DA PROVÁVEL CORRUPÇÃO OU SABOTAGEM DO BEBIANO E ATÉ DO BIVAR NA CAMPANHA EM 2018 E ESTOURA NA GESTÃO BOLSONARO EM 2019..E O CARLOS SABENDO DISSO E FICANDO QUIETO – COMO É QUE FICARIA A CABEÇA DELE?..ESTAMOS NA ERA DAS REDES SOCIAIS E NADA MAIS FICARÁ EM OCULTO..O TEMPO DO LULA, FHC, DILMA FOI TEMPO DE ESCONDER E PAGAR CORROMPENDO AS MÍDIAS PARA NÃO PUBLICAR – AGORA MUDOU É MELHOR JAIR SE ACOSTUMANDO..ATÉ DIREITISTAS DE POUCA VISÃO DO QUE DE FATO É A ONDA MUNDIAL DA DIREITA CONSERVADORA..SE ACOSTUMEM COM A NOVA ERA – UMA ERA QUE NÃO COMEÇOU NO BRASIL E NÃO VAI TERMINAR NO BRASIL.

  9. Avatar

    Leia Maria

    15.02.2019 at 12:59

    Não concordo com a “análise”. Bebbiano mentiu e a mentira teve que ser exposta.Aliás, a mídia não está acostumada com isso: com jogo às claras.

  10. Avatar

    Raquel Perez

    15.02.2019 at 11:33

    👏👏👏

  11. Avatar

    Adriano Passos

    15.02.2019 at 01:02

    Carlos acertou em cheio no foco do problema. Qualquer membro do governo que vacilar com o nome do Bolsonaro ou do próprio governo pode cair facilmente. Isso aí tem muita estratégia.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites