Redes Sociais

Artigo

COLUNA: O que os conservadores precisam fazer diante do pronunciamento de Olavo

Filipe Altamir

Publicado

em

Josias Teófilo

O professor e filósofo Olavo de Carvalho, neste último sábado (6), utilizou o canal dele no YouTube para publicar um vídeo sobre os últimos acontecimentos da semana. O conteúdo é uma reação ao grande maquinário de assédio judicial jamais perpetrado antes contra um único cidadão privado —  incluindo o recente processo do Caetano Veloso e o anúncio do Felipe Neto em juntar outros influenciadores para estabelecer uma espécie de “dossiê” — objetivando denunciar uma suposta rede ‘olavista’ de influência no pensamento brasileiro.

Claro que o horizonte de percepção de figuras incultas como o Felipe Neto é completamente atrofiado e míope, uma vez que o Olavo de Carvalho, atuando como filósofo, professor e escritor, obtém uma série de influências que variam de intensidade nas redes sociais, sendo impossível o controle por parte da amplitude de influência que Olavo possa exercer nas pessoas. Nesse processo de crescimento de uma direita imatura, temos inúmeros alpinistas sociais que alçaram o nível influenciadores na internet usando o professor como escada — assim como também temos inúmeros supostos alunos que sequer leram boa parte do arcabouço teórico do Olavo, dando uma percepção de que há uma espécie de rede militante extremamente sofisticada e supostamente liderada pelo Olavo.

Nada passa de pura paranoia. Uma noção alarmista do Felipe Neto e outros influenciadores de esquerda que denota um total estado míope de percepção completamente desprovido de uma visão apurada da realidade. O professor Olavo de Carvalho atua sem nenhuma assessoria jurídica especializada, sem secretariado, sem nada. Sendo apenas sozinho e isolado no interior do estado da Virgínia, nos EUA. A sua saída do Brasil foi motivada por uma insatisfação com a mediocridade cultural e intelectual brasileira, assim como também por uma série de ameaças executadas em massa contra um único pensador responsável por expor o esquema do Foro de SP — organização essa que atua como uma verdadeira Internacional Comunista — objetivando a consolidação de esquemas de poder da esquerda latino-americana, com emissão de resoluções e assinaturas de partidos políticos signatários e comprometidos com a sua respectiva agenda. Fator esse que contraria os cínicos que tentam minimizar o poder de atuação do Foro e sua influência em figuras políticas e burocratas poderosos no Brasil.

Olavo tem razão

Essa série de vídeos do professor contou com várias críticas contundentes à atuação lenta do Presidente Jair Bolsonaro em utilizar de armas institucionais para combater esquemas amplos de difamação e calúnia contra si mesmo e o próprio professor Olavo. Vale também destacar a importância que o professor deu à atuação privada de financiamento para alimentar redes midiáticas independentes de influência conservadora, que ainda vivem em situação de fragilidade financeira. Luciano Hang, proprietário e sócio da Havan, foi um dos citados como exemplos dessa crítica. O empresário assume identidade política nas redes sociais e costuma atuar militando por suas ideias, mas também não move um centavo para ajudar mídias alternativas conservadoras, que atuam como espaço de voz e influência para os valores morais que representam a maioria da população brasileira. Como pode uma população majoritariamente conservadora não contar com um grande veículo sequer conservador e de ampla influência, enquanto que a rede completamente progressista como a Globo desfruta de um poder de alcance incalculavelmente maior?

Há, em todo esse vácuo, um problema grave que corrompe a ideia basilar de democracia em um sistema onde a maioria verdadeiramente deveria ter voz e representatividade. Nos EUA, por exemplo, o corpo de influência cultural conservador atua na grande maioria das estações de rádio amplamente consumidas pela população norte-americana, além de contar como gigantes emissoras, como a própria Fox News. A cultura norte-americana também desfruta de maior voluntarismo e apoio aos meios alternativos de informação. Um americano sente-se completamente no dever moral de retribuição financeira quando consome conteúdo constantemente por um meio específico de informação. A cultura do financiamento coletivo é extremamente forte, ao contrário do que acontece no Brasil, onde todos desfrutam parasitariamente dos esforços dos gigantes e cospem verborragias difamatórias contra projetos que necessitam de apoio voluntário financeiro.

Diante de todo esse panorama aqui exposto, vale destacar que de fato o Professor Olavo de Carvalho é de longe o cidadão privado mais atacado, achincalhado, difamado e caluniado da história do Brasil. Nunca antes se testemunhou um maquinário com tantos ataques difusos, generalizados e de todos os lugares. De fato, o povo conservador precisa agir com as armas legais e financeiras para romper de vez a hegemonia progressista e não deixar sair impune os insultos difamatórios diários dos seus inimigos. O Presidente precisa agir contra seus inimigos com estratégia e sabedoria, ouvindo os conselhos de quem de fato expôs todo o esquema de ocupação comunista na América do Sul mediante o Foro de SP — fator esse exposto nas atas públicas do próprio Foro e que foram apagadas após denúncias efusivas do Olavo de Carvalho. Atas essas que foram solenemente ignoradas por anos pela mídia em um gigante esquema deliberado de ocultação das informações até o próprio Lula admitir a existência do Foro e afirmar categoricamente que colocaram Hugo Chávez no poder mediante as estratégias e resoluções da organização.

O que a direita deve fazer?

Simples: pressionar aqueles gigantes financeiros que dizem apoiar o governo e as ideias conservadoras para investir nos meios de informação que ajudam a combater o maquinário ideológico e falsificador de informações da grande mídia. Eles vivem ditando o que é “fake news” e iniciativas como “Sleeping Giants” ganham força justamente pelo fato de mídias alternativas dependerem de monetização do Adsense, que é um meio limitado e completamente frágil de se manipular caso alguém ludibrie as empresas a boicotarem meios alternativos de informação como combate político ideológico.

Se mais pessoas apoiam e contribuem com a mídia alternativa, mais ela se fortalece. Se a classe empresarial, que assume identidade política, também atuar financiando e alimentando os meios culturais conservadores, a direita também se fortalece subsequentemente. Isso é algo completamente normativo e cultural no exterior. É por isso que os conservadores norte-americanos são muito mais expressivos e influentes do que a direita brasileira inteira.

Além do mais, não precisamos somente alertar para uma cultura de voluntarismo financeiros para os meios de informação conservadores, como também precisamos de maior atuação jurídica de advogados conservadores dispostos a defender seus influenciadores e pensadores do gigante maquinário difamatório e calunioso da oposição esquerdista hegemônica. É surreal pensar que os inimigos do governo e do Olavo consigam tanto espaço e liberdade para atuar ardilosamente e de maneira rasteira com o sofisticado maquinário de assassinato de reputações, enquanto o Presidente permaneça apenas silente ou batendo boca inutilmente contra seus inimigos da imprensa.

O Presidente vem fazendo sua parte e atuando com as melhores intenções por um Brasil melhor. Montou uma equipe ministerial histórica, técnica e sem capitalizações políticas com a classe corrupta, mas é óbvio que o tão nobre projeto político seria boicotado e sabotado por vários meios institucionais corrompidos já existentes, sem nenhum descanso.

Para isso, é necessário que o Governo Federal assegure seu poder institucional e atue diante de suas prerrogativas legais contra seus inimigos — garantindo seu poder e espaço de atuação para a consecução de uma agenda aclamada por mais de 50 milhões de brasileiros.

Escritor formado em Direito, conservador e analista político.

alan correa criação de sites