Eu fui eleito deputado federal para endurecer a vida dos bandidos

Autor: 2 Comentários Compartilhar:
Imagem: Divulgação | Conexão Política

Temos recebido uma enxurrada de notícias de roubos, furtos, tentativas de homicídios, entre outros crimes em Maringá. Mas também temos visto as Polícias dando respostas em vários desses crimes, elucidando os fatos e prendendo criminosos.

O aumento da criminalidade acontece por vários fatores, mas um dos principais fatores é a impunidade. Se mesmo com as Polícias trabalhando, o crime está aumentando é sinal de que a bandidagem perdeu o medo das leis, perdeu o medo da cadeia.

Bandido sabe que se for preso, sempre dará um jeitinho e sairá da cadeia. Leis frágeis, fajutas, e bandido sendo tratado como vítima da sociedade, quando na verdade as vítimas somos nós, reféns dessa laia.

Temos que mudar urgentemente essas leis, acabar com essas porcarias de audiência de custódia; acabar com visitas íntimas para presos; ou seja, acabar com as mordomias dessa raça, para que quando estiverem aqui fora pensem mil vezes antes de cometer crimes.

Este vagabundo que roubou e esfaqueou um adolescente em Maringá, vai ficar determinado tempo preso e quando sair, vocês não tenham dúvidas nenhuma de que ele vai voltar a praticar crimes, pois é pessoa do mal, pessoa ruim, que se apenas estivesse precisando de dinheiro, poderia até roubar, mas jamais agrediria e esfaquearia a vítima.

Chega de tornozeleira eletrônica, chega de passar a mão na cabeça de bandido, chega de impunidade.

Chega de sermos reféns dessa raça, vamos reagir e exigir que as leis mudem e que bandido seja tratado como bandido nesse país. Vamos trabalhar nesse sentido.

Fui eleito Deputado Federal e com certeza vou trabalhar para endurecer a vida de bandidos e vou cobrar as promessas do Presidente eleito, para que o Brasil definitivamente seja um lugar ruim para bandidos.

Post anterior

“Não retiro o nome, nem sob tortura”, diz Janaina Paschoal sobre candidatura à Presidência da Alesp

Próximo post

Janela de Overton

Você pode gostar também:

2 Comentários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.