Redes Sociais

Análise

A Folha não gostou do novo Ministro da Educação… que alívio

O fato de o novo ministro não se dar muito bem com colegas da universidade já é um ótimo passo, e faze-o cair em minha graça de primeira. 

Publicado

em

O Ministro da Educação Abraham Weintraub / Reprodução / Internet

A Folha de São Paulo, jornalzinho decadente que publica artigos de ex presidente presidiário corrupto, lançou a seguinte matéria, escrita em duas mãos, o que já é ridículo o suficiente e vergonhoso: Na academia, novo ministro do MEC soma baixa produção e desavenças.

Parece que a Folha — empresa que errou feio os resultados das pesquisas nas últimas eleições — não se agradou muito do novo Ministro da Educação, Abraham Weintraub. Mas que alívio!!! Segundo os jornalistas, o ministro “coleciona desavenças com alunos e colegas em seus cinco anos como professor pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e tem no currículo acadêmico apenas quatro artigos em periódicos científicos —todos em revistas de baixo prestígio”.

O fato de o novo ministro não se dar muito bem com colegas da universidade — que está tomada por abutres — e não publicar muito nas revistinhas acadêmicas — que dificilmente publicam estudos sérios e úteis — já é um ótimo passo, e faze-o cair em minha graça de primeira. 

Somente alguém da mesma laia dos acadêmicos brasileiros ou alguém de elevada pachorra para suportar o ambiente sem nenhuma queixa e, publicar facilmente em suas revistinhas que mais parecem panfletos ideológicos que, para nada servem, a não ser adornar currículo de gente que faz vergonha a “estudantes eremitas” e autodidatas.

A matéria destaca: “[…] Weintraub atuou por mais de 20 anos no mercado financeiro. Foi sócio na Quest Investimentos, diretor do Banco Votorantim e CEO da Votorantim Corretora”. Mas parece que isso não basta para os jornalistas, pois gostam de gente que possuem o currículo Lattes graúdo, mas que nada produzem, que apenas vivem de bolsas de mestrado, doutorado ou de pós doutorado fora do Brasil, financiado com dinheiro público e, sem dar nunca na vida nenhum retorno útil ao país que o financia, enquanto geme, enquanto sangra.


O Conexão Política é um portal de notícias independente. Ajude-nos a continuarmos com um jornalismo livre, sem amarras e sem dinheiro público » APOIAR

Cristão, conservador — o termo usado por idiotas é extrema direita: pró-vida, pró-família, pró-armas —, pedagogo, escritor e poeta. Vivo de poesia pra não morrer de razão. — www.andersonsandes.net

Publicidade
21 Comentários

21 Comments

  1. Daniella Assunção Vieira

    10.04.2019 at 14:30

    Parabéns Folha de São Paulo, jornalismo é publicar aquilo que não se quer que publique.
    O site aqui, que até então nunca tinha ouvido falar, é mais um jabazeiro chapa branca

  2. Jason Soares

    10.04.2019 at 11:50

    Chola mais petralhada! Kkkkkkkkkkkk

  3. péricles novelli filho

    10.04.2019 at 09:37

    Quem é o Ministro da Educação de Cuba ? Gostaria de vêr seu curriculum.

  4. Antonio Soares

    10.04.2019 at 08:51

    você não vai publicar o comentário, tenho certeza. Porque nao quer debate

    • Mauricio Bernardo

      10.04.2019 at 13:15

      Folha a caminho do fim, de tão honestos que são, estão até brigando os irmãos donos da folha pelo poder e dinheiro. Viva o socialismo da folha.

  5. Antonio Soares

    10.04.2019 at 08:50

    Realmente o Brasil vive um momento de obscurantismo que saiu do armário como personificado na sofrível análise de Anderson, um desses que saiu do armário medieval. O problema não é só o currículo, é sobretudo as opiniões do ministro que luta, como você contra os fantasmas do comunismo. Já sei que vai falar em CUBA e na Venezuela, argumento presente na cartilha dos incultos. Cuba é um país miserável que tenta sair de um regime ditatorial com muita dificuldade em função da estrutura antidemocrática; Venezuela tem desde Chaves um governo populista, embora supostamente num regimente democrático, operou um série de golpes legislativos e repressão para a manutenção de uma casta de políticos que se dizem de esquerda mas defendem seus próprios interesses as custas de um povo miserável. Voltando ao ministro temos um problema central, tanto o último quanto o atual, se apresentam (tal como o presidente) como um homem sem qualidades. Pois, não descobriram que estão no controle e ficam fazendo ameaças e lutas insanas contra o fantasma do Comunismo. Revelam em suas atitudes mais ressentimos com o mundo acadêmico (que tem problemas é claro, muita de ineficiência e ilhas de excelência) do que conhecimento sobre a pasta que assumiram. Infelizmente, vai morrer na praia, o MEC tem uma estrutura monstruosa e precisa ser entendida para que um choque de administração seja operado em dois anos. Se ficar fazendo ameaças ou bravatas, vai ser mais do mesmo.

  6. Naolavo meu Carvalho

    09.04.2019 at 20:51

    O artigo reflete o autor: tem o valor de um papel higiênico usado.

  7. Pingback: Novo Ministro da Educação desagradou jornalistas do Folha de São Paulo

  8. Paulo Silva

    09.04.2019 at 13:48

    Matéria má intencionada e viciada.

  9. Carlos Dias

    09.04.2019 at 11:37

    Pois bem, Sabemos o quanto é difícil uma mudança assim tão radical no sistema administrativo do poder executivo. Mais penoso quando mexe no status de empresas(?) que se regalavam com o prestígio pecuniário, agora findo. Ficar fora do Sistema, faz com que aquelas empresa (garimpeiras, articuladoras, manipuladoras) e seus comandados “miquinhos amestrados”), se movimentem com cenas de ataque para todos os lados, a fim de prover um “ACORDO” ou “ARTICULAÇÃO” que favoreça à velha ordem E TUDO VOLTE AO QUE ERA ANTES. MAS, o pior mesmo é, hoje, depois de tantos anos no controle, a conscientização/constatação agoniante de que nada será como antes e que a cada dia torna-se distante – enquanto eles envelhecem pobres de credibilidade e fora do sistema, remando numa barca furada.
    DE RESTO, JÁ COMECEI GOSTANDO DA ESCOLHA DO NOVO MINISTRO. Acertaremos, sim. A grande “parada” é saber que sempre poderemos errar e aprender para vencer. VAI FIRME, JAIR MESSIAS BOLSONARO, presidente de TODOS OS BRASILEIROS, conforme nossa Carta Magna e a vontade da maioria dos “filhos deste solo”, cuja MÃE GENTIL é nossa PÁTRIA AMADA..

    • Manoel Santos

      09.04.2019 at 15:56

      Um ministro
      que não tem consciência
      de sua própria ignorância
      não tem amor pela sabedoria!

  10. Carlos Dias

    09.04.2019 at 11:06

    É

  11. Thiago Costa Cardoso

    09.04.2019 at 10:37

    É aquele famoso meme: Bolsonaro cantando a música do racionais “acharam que eu estava acabado (escolha errada do Vélez conservador para o MEC) que achou estava errado (escolheu Abraham conservador, economista e Olavo crew)

    Ps: verdade que todos os alunos do Olavo vão voltar ao MEC, Silvio Grimaldo; Bruno Garschagen; E outros seis?

  12. John Aphne

    09.04.2019 at 10:11

    Se a esquerdalha desonesta não gostou…..o ministro é muito bom.

  13. Alexandre

    09.04.2019 at 09:38

    A desonestidade intelectual da esquerda não tem limite.

  14. Wallace Emerich Garcia

    09.04.2019 at 08:33

    Se os esquerdopatas não gostaram melhor ainda.

  15. ervelosoEmilio

    09.04.2019 at 07:52

    O cara demitiu a irmã da direção da Folha, mas continua o mesmo lixo. Sugiro campanha de boicote contra os produtos do UOL, em especial o PagSeguro.

  16. Manoel Oliveira Santos

    09.04.2019 at 07:45

    O jornal Folha de São Paulo, já reservou seu lugar na cova da Rede Globo; os ratos vão ser sepultados juntos.

    • John ASphne

      09.04.2019 at 10:09

      Se a Foice de São Paulo não gostou o ministro deve ser muito bom. Parabens, Presidente Bolsonaro.

  17. Evaldo Rui Franco

    09.04.2019 at 07:15

    Se a falha dos esquerdistas não gosta. Bom sinal.

    • SERGIO AMORIM

      09.04.2019 at 07:48

      Ótimo SINAL, isso nos dá a certeza de estar indo pelo caminho certo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Apoiar

Parceiros

Publicidade

alan correa criação de sites