Redes Sociais

Ajude a evangelizar o mundo

Alegria: a nossa maior arma de combate

Este é o o 4° texto da coluna diária do Conexão Política sobre reflexões cristãs.

Alex César

Publicado

em

Reprodução | Google

Em 2020, os termos mais pesquisados no mundo, através do Google, foram “Coronavirus”, “Pandemia” e “Lockdown”. Isso já demonstra o que conquistou a atenção das pessoas.

Ainda que se relacione com a preservação da vida, nunca a humanidade precisou se preocupar tanto consigo mesma. Nunca os seres humanos necessitaram andar tanto em unidade de pensamento em relação a saúde. Nunca a nossa dependência de que o outro estivesse tão saudável foi tão real.

Também podemos ver que há uma grande demanda de pessoas sofrendo nas emoções, pelo surgimento do medo, da ansiedade, das depressões, das inseguranças, das pressões financeiras e econômicas.

Nada é mais paralisante do que ter as emoções fora do seu eixo de equilíbrio. Não somos capazes de definir por quanto tempo se pode suportar pressões externas agindo sobre nossas emoções. E nessa convivência, as pessoas perguntam como se vence tudo isso.

Sem respostas simplistas, podemos afirmar que encontramos recursos geradores de força e esperança, vindos da palavra do nosso Deus, que diz assim:

Temos esta esperança como âncora da alma, firme e segura. (Hebreus 6:19)

Tudo o que a nossa alma precisa é sentir esperança, e isso lhe traz firmeza e segurança. É chegado o tempo de novas experiências, em que temos que resgatar dentro de nós o que pode nos dar esperança. É dentro de nós que estão as diversas sementes que foram lançadas.

Elas são a palavra de Deus, que precisam ganhar vida em nosso interior, pois ela é “viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes” (Hebreus 4;12).

Há uma palavra muito poderosa e que toca muito a realidade que atravessamos hoje. Precisamos fazê-la gerar movimento em nosso interior:

“Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras, mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo a produção de alimentos na lavoura… ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação.” (Habacuque 3:17-18)

Esse texto nos mostra um segredo contra pressões externas e quando nada vai bem dentro de nós. Ele nos remete a uma decisão que precisamos tomar para não sermos abatidos pelo problemas circunstanciais: “Me alegrarei no Deus da minha Salvação”.

Por exemplo: se considerarmos que a depressão é ausência de alegria, podemos enxergar nesse texto que a alegria é o sentimento necessário no combater ao que pode provocar a depressão.  Também nos mostra que a fonte geradora dessa alegria está no próprio Deus. O texto implica que há uma forma de ‘salvação’, que pode ser conquistada pela busca da alegria em Deus!

Há uma alegria a ser conquistada em tempos difíceis, ainda que as circunstâncias exteriores e interiores não estejam a nosso favor.

Aliás! Essa alegria não vem de nós, mas somente o Espírito do Senhor pode produzi-la em nosso ser, conforme o apóstolo Paulo afirmou aos Gálatas, que “o fruto do Espírito é… alegria” (Gálatas 5:22).

Portanto, faça da ‘alegria do Senhor’ a sua força, contra qualquer realidade difícil e depreciativa.

“A alegria do Senhor é a nossa força.” (Neemias 8:10)

alan correa criação de sites