Movimento grevista dos caminhoneiros são favoráveis à intervenção militar

Autor: 2 Comentários Compartilhar:
Imagem: Alan Chaves/G1

Após o comunicado distribuído nas redes sociais pelas lideranças do movimento grevista da União Nacional dos Transportadores Rodoviários e Autônomos de Carga — a mídia mainstream publicou diversas matérias afirmando que movimentos pró-intervenção militar estão tentando influenciar os rumos da greve dos caminhoneiros.

No entanto, entre as exigências formuladas pelos grevistas incluem a implantação do Voto Impresso nas urnas eletrônicas, combustível a preço de Bolívia e porte de armas para legítima defesa.

Em caso de descumprimento, nos somaremos ao clamor popular por intervenção militar“, afirmou os caminhoneiros.

Ao contrário do que a grande mídia tenta repassar ao povo brasileiro — o posicionamento pró-intervenção partiu dos próprios caminhoneiros. Não existe nenhum seguimento oportunista (pró-intervenção) em torno do movimento grevista.

A paralisação dos caminhoneiros começou com um objetivo, mas obteve apoio incondicional da sociedade em todas exigências ao decorrer do tempo. O povo brasileiro cansou de pagar a conta da corrupção. Tudo o que está acontecendo refletirá nas urnas.

Post anterior

Jair Bolsonaro chega aos 24% e venceria segundo turno em todos os cenários

Próximo post

Infraero alerta que aeroportos não tem combustível para esta quinta-feira

Você pode gostar também:

2 Comentários

  1. Estamos com os caminhoneiros, bloqueio nas distribuidoras com alternância de caminhões é muito eficiente e a polícia não tem como multar, sai um entra outro.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.