Convenção Batista Brasileira lança gibi sobre ideologia de gênero em Curitiba

Autor: Nenhum comentário Compartilhar:
Imagem: Divulgação/Conexão Política

A Convenção Batista Brasileira (CBB) e a Igreja Batista do Bacacheri (IBB) lançarão no dia 20/03 às 19h30, em Curitiba-PR, na sede da IBB, localizada no bairro Bacacheri, a obra “Viva a Diferença”, em formato de história em quadrinhos, indicada para a faixa etária de 4 a 8 anos. 

A obra possui 16 páginas coloridas, e será distribuída gratuitamente em formato digital, podendo ser baixada e reproduzida, após o lançamento, por indivíduos e instituições de acordo com os termos de licenciamento aplicáveis.

Release Projeto “Viva a Diferença” Lançamento de obra que trata da equidade entre os sexos, valorizando suas diferenças e papéis, em conformidade com princípios bíblicos, estará disponível a pais, instituições, educadores e ao público em geral, e visa a comunicar com o público infantil.

O texto é de autoria da psicóloga, palestrante e pesquisadora de gênero Marisa Lobo; direção bíblica e cristã do pastor, mestre em divindade e doutor em ministério, e presidente da IBB, CBB e Aliança Batista Mundial, Luis Roberto Soares Silvado; e ilustrações de Osmar Ritter. Todos os direitos foram cedidos à IBB pelos autores. A distribuição será feita pela CBB.

São apresentados nos quadrinhos, por meio de linguagem acessível a crianças na faixa etária alvo, valores e princípios bíblicos, na forma de diálogo entre duas crianças e seus pais, abordando temas como identidade, sexualidade e gênero. Direcionada ao público cristão, mas disponível a qualquer pessoa, a obra preenche uma lacuna na literatura brasileira em geral, ao vocalizar a cosmovisão cristã sobre temas polemizados por nossa sociedade.

“Crianças possuem sexo e identidade, meninos e meninas são diferentes, porém, iguais em direitos. A sexualidade faz parte da vida e do corpo desde o nascimento. Crianças costumam questionar sobre assuntos polêmicos, o importante é falar na linguagem adequada, com verdade e cuidado para não ofender ou discriminar quem pensa diferente”, diz psicóloga Marisa Lobo.

“Temos o direito constitucional de viver conforme nossas tradições e fé. Como cristãos ensinamos nossas crianças que elas são diferentes, nasceram diferentes, possuem sexos diferentes e uma identidade única em concordância com sua biologia e cultura, gerada e criada à imagem e semelhança de Deus”, afirma o pastor Luiz Roberto Silvado, presidente da CBB.

Post anterior

Cármen Lúcia receberá advogado de Lula para discutir sobre habeas corpus preventivo

Próximo post

João Doria protocola registro de candidatura ao governo de SP

Você pode gostar também:

Deixe uma resposta